Saúde Bucal

A boca seca ou xerostomia é um dos principais problemas que afetam a saúde bucal e a qualidade do hálito. A xerostomia está diretamente ligada à adesão de maus hábitos e deve ser tratada o quanto antes, evitando riscos visíveis no sorriso.

Você sabe o que é boca seca? Sabe quais são os seus principais sintomas, causas e formas de tratamento? Veja aqui tudo o que você precisa saber:

O que é boca seca?

A boca seca é um problema bem comum e que afeta todas as faixas etárias. Esse sintoma é muito comum logo após ao acordar, mas caso persista por horas ou dias pode ser considerado uma complicação mais grave.

O termo xerostomia, vem de xeros – seco e stoma – boca e assim como seu significado literal se trata do estado de ressecamento da zona bucal. Ao contrário do que muitos imaginam, nesse caso não se trata da indicação de que é hora de beber água, indicando insuficiência na produção ou entrega da saliva.

O ressecamento da xerostomia, por sua vez, pode estar associado a uma série de fatores, como a diminuição da respiração feita pela boca ou pelo ronco.

quais são os sintomas da boca seca

Quais são os sintomas da boca seca?

Assim como demais problemas bucais, a deficiência na produção de saliva apresenta alguns sintomas característicos como:

  • Dificuldade na deglutição e mastigação;
  • Dificuldade na fonética;
  • Lábios secos e com rachaduras;
  • Sensação de sequidão e viscosidade na boca;
  • Sensação de queimação na língua;
  • Perda de apetite;
  • Gosto metálico na boca;
  • Halitose (mau hálito);
  • Aparecimento de feridas na boca.

Entre os sintomas que podem está associados a boca seca, estão:

  • Cáries dentárias;
  • Dores de cabeça;
  • Infecções bucais – principalmente pelo fungo Candida Albicans.

Esses sintomas geralmente são complicações da boca seca, já que alterações no fluxo de saliva e principalmente a sua redução, comprometem o seu papel de proteção contra micro-organismos. Dessa forma, qualquer complicação nas glândulas salivares devem ser investigadas.

A boca seca tende a ser pior à noite, já que normalmente à noite a produção de saliva já se encontra reduzida. O diagnóstico da boca seca também afeta o emocional e aumenta o risco de doenças de saúde mental e ansiedade social.  

É pela salivação que se é possível haver a mastigação, deglutição e digestão correta dos alimentos, a fonética correta, a prevenção de cáries e infecções, o controle de acidez da boca, reposição de sais minerais e a manutenção da umidade bucal.

Quais são as causas da boca seca?

A boca seca pode ser causada por uma série de fatores e fatores de risco, conheça quais são:

  • Má higiene bucal;
  • Estresse;
  • Certos medicamentos que induzem perda na salivação (antidepressivos, ansiolíticas, relaxantes musculares, tranquilizantes e para o tratamento do câncer);
  • Tratamento de radiografia;
  • Tratamentos médicos;
  • Tabagismo;
  • Mulheres na menopausa;
  • Alterações hormonais na gestação;
  • Dormir em posição incorreta;
  • Deficiências nutricionais;
  • Problemas na tireoide – hipotiroidismo;
  • Problemas respiratórios;
  • Problemas gastrointestinais;
  • Alimentação rica em sal e açúcar;
  • Má alimentação;
  • Ronco.

Dessa forma, caso a sensação de boca seca persista por alguns dias é necessário que se consulte um dentista ou clínico geral, já que a complicação também pode indicar doenças autoimunes, crônicas ou síndromes raras, tal como diabetes e síndrome de Sjögren.

Após o diagnóstico, em casos que a salivação esteja sendo comprometida por fatores internos, o clínico geral que irá encaminhar o paciente para o tratamento ideal, podendo encaminhar para um endocrinologista ou gastroenterologista.

Como é o tratamento da xerostomia?

Mesmo sendo um problema associado a múltiplos fatores, a xerostomia tem cura e tratamento. Nesse caso, o diagnóstico dirá qual a sua causa principal e assim, o especialista irá recorrer à abordagem ideal.

Quando causada por certos medicamentos, a boca seca deve ser controlada pela suspensão do medicamento motivador, devendo o médico realizar uma nova prescrição.

Diante de boca seca por radioterapias e em que não há a possibilidade de suspensão do processo, o médico pode indicar que haja uma boa ingestão de água e o uso de salivas artificiais vendidas comercialmente.

Além disso, uma boa alimentação e uma rotina de higiene bucal satisfatória. A higiene bucal deve ser feita de 2 a 3 vezes ao dia, contando com uma escovação com uma escova macia e creme dental fluoretado, passagem de fio dental e o bochecho com enxaguante bucal sem álcool quando necessário.

Para regular a salivação, o dentista também pode indicar a ingestão de alimentos cítricos e ácidos e a aplicação de flúor em consultório.

O uso de um protetor labial e manteiga de cacau podem ajudar em casos de lábios ressecados. A medicação por pilocarpina ou sorbitol pode ser feita em casos em que os sintomas da boca seca interfiram na mastigação.

Mascar chicletes e chupar balas também são formas de estimular a salivação. Evitar a ingestão de bebidas como álcool e cafeína e o uso de cigarro fazem parte tanto do tratamento como da ação preventiva.

Quando a boca seca for associada a doenças, o médico especialista fará a melhor indicação, considerando as particularidades do caso.

visitas regulares ao dentista

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são essenciais para que haja o diagnóstico e o tratamento precoce de complicações como a boca seca.

O acompanhamento odontológico é importante para que a saúde bucal seja avaliada regularmente, fazendo com que o dentista consiga orientar o paciente e realizar tratamentos preventivos para determinado problema suscetível.

O indicado é que as visitas ao consultório odontológico ocorram de 6 em 6 meses, no entanto, casos específicos devem exigir um intervalo menor.

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Deixe seu comentário