Especialidades

O canal dentário ou simplesmente canal de dente é uma dos principais tratamentos feitos em consultório odontológico. O tratamento de canal é feito pela especialidade de nome endodontia, responsável por solucionar lesões e doenças que atingem a polpa e a raiz dentária.

Veja aqui o que é e como funciona um canal dentário e saiba quais são as suas principais indicações:

O que é canal dentário?

O canal dentário é o procedimento por trás da remoção da polpa do dente, o tecido mais interno e mais sensível da estrutura e que pertence a sua raiz. Sua sensibilidade está associada a sua composição por nervos e vasos sanguíneos, o que justifica as fortes dores por trás de seus problemas.

É o tratamento indicado quando a polpa está consideravelmente danificada, estando infeccionada ou morta. Na maioria dos casos de canal, as motivações são fraturas, traumas ou cárie profunda. Após a remoção dessa porção do dente o local deve ser limpo para impedir que a situação regrida.

A cárie é a principal motivação de prejuízos na polpa, uma vez que durante a sua evolução e na falta de tratamento, tende a perfurar a estrutura dental até as suas estruturas bases.

Complicações na polpa dentária podem trazer uma série de problemas à saúde bucal e geral. Dessa forma, esse tratamento não deve ser deixado de lado e feito o quanto antes quando for recomendado, evitando infecções e que mais para frente a extração do dente seja necessária.

Como é feito o canal dentário?

O objetivo do canal dentário é a reabilitação tanto estética quanto funcional do dente. Para que esses benefícios sejam alcançados, é necessário que suas fases sejam seguidas e feitas corretamente.

O procedimento conta com a limpeza do local, de sua preparação, do preenchimento da região por um material específico, evitando futuras infiltrações.

Primeiramente, o dentista irá fazer a percepção do problema, encaminhado o paciente para exames clínicos e de imagem.

Com os resultados em mãos, o odontologista especialista em endodontia (endodontista) inicia o procedimento pela abertura do canal do dente, onde se localiza a polpa, utilizando a broca de obturação (motorzinho) e fazendo a perfuração desde a coroa dentária (superfície do dente). A esse passo, especialistas dão o nome de Acesso.

Após a perfuração, o dentista realiza a remoção definitiva da polpa e logo após a limpeza do local por uma irrigação. Assim sendo, a limpeza consiste na evacuação dos locais pela remoção do agente irritante, os alargando e alisando para a colocação do material obturador.

Após o processo de obturação o dentista sela a abertura feita por uma camada temporária, que pode possuir uma restauração permanente ou ser coberta posteriormente por uma coroa dentária, um tipo de prótese parcial que é cimentada na parte superior do dente.

Quando devo fazer um canal dentário?

Mesmo reconhecendo as principais causas do tratamento de canal, é importante saber reconhecer quais são os sintomas por trás desse tipo de abordagem.

O primeiro sintoma a ser percebido é a dor de dente. Para que o problema seja percebido como passivo ao canal, deve ser observado se há a presença de cáries, considerando sinais característicos como sensibilidade no dente, dor de dente constante, inchaço na gengiva, halitose (mau hálito) e manchas escuras nos dentes.

O desconforto por sensibilidade pode ser intensificado diante a ingestão de alimentos muito quentes ou gelados. As dores podem ser refletidas também na cabeça, ouvido e maxilar.

Além das dores de dente, sejam elas leves, intensas ou moderadas, também há a percepção de sintomas como inchaço ao redor do dente, e que geralmente indica o aparecimento de uma infecção. O inchaço pode afetar não só o dente, mas também a pálpebra. Em casos mais graves, a infecção pode resultar no acúmulo de pus e na formação de abscessos.

Diante da incidência de algum tipo de trauma na boca, seja por queda ou choques, há o escurecimento do dente devido ao comprometimento e a necrose dos nervos pela rachadura. Aqui também o dente fica exposto e passivo a casos de infecções.

É possível que a pessoa não apresente nenhum desses sintomas e mesmo assim possua algum dano no canal. Dessa forma, é muito importante que as visitas ao dentista sejam mantidas regulares, para que o dentista o encaminhe para exames eventuais e radiografias.

Na presença de sintomas, não hesite em contatar o seu dentista para que haja a avaliação e o início do tratamento o quanto antes.

Quantas sessões são necessárias?

O tratamento de canal normalmente é finalizado com até 3 sessões, dependendo das particularidades do caso.

Contudo, em caso de complicações após o procedimento cirúrgico, seja a inflamação ou infecção do dente, o dentista pode ver a necessidade de realizar novamente o procedimento no consultório odontológico.

Complicações em meio a cirurgia também podem justificar o aumento do número de sessões. Aqui pode ser relatada a penetração da raiz por desacerto na colocação da ferramenta, processo de ossificação e dificuldades anatômicas durante a execução do processo. Por isso, para evitar futuros desapontamentos, se certifique de realizar o tratamento com um especialista.

tratamento de canal dói

Afinal, o tratamento de canal dói?

A dor sentida no canal está diretamente associada à presença da infecção. O canal no dente não dói, uma vez que o paciente estará devidamente anestesiado.

Por isso é tão importante que o procedimento seja feito na fase inicial do problema, evitando dores de nível intenso.

O pós-tratamento também pode não estar marcado por qualquer sentimento de dor, já que a infecção já terá sido solucionada.

Quais são os cuidados necessários após o canal dentário?

Assim como demais procedimentos invasivos, após a realização do tratamento de canal é necessário que o paciente tome alguns cuidados e siga algumas orientações para uma recuperação tranquila.

Entre os principais cuidados a serem tomados estão:

  • Higiene bucal adequada e completa – mantendo as escavações feitas com movimentos suaves;
  • Manter-se em repouso por ao menos 1 semana – de acordo com a recomendação do odontologista;
  • Evitar a ingestão de alimentos duros – principalmente em meio a primeira semana após o procedimento;
  • Utilização da medicação indicada – normalmente por analgésicos e anti-inflamatórios;
  • Não mastigar em cima do dente com restauração provisória;
  • Manter as visitas regulares ao consultório.

Dessa forma, mesmo que a endodontia seja feita em apenas uma consulta, é importante que o paciente tenha bastante cuidado no pós-operatório e consulte o dentista diante de qualquer dúvida ou prejuízo percebido em meio ao período.

Canal dentário valor, quanto custa um canal?

O valor do canal no dente é bastante variável, podendo variar de clínica em clínica e de qual dente será tratado.

A média de preço está entre R$ 700 (setecentos reais) a R$ 1500 (mil e quinhentos reais) para dentes anteriores e R$ 1000 (mil reais) a R$ 2000 (dois mil reais) para dentes posteriores.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são essenciais para a detecção do problema, para a realização e o acompanhamento do tratamento de canal.

Além disso, é por meio da periodicidade ao consultório odontológico que se é possível realizar os procedimentos regulares, como a profilaxia (limpeza profissional) e se manter os benefícios à saúde bucal.

É também por essa frequência que o dentista é capaz de realizar a ação preventiva de problemas bucais, como a cárie, orientando o paciente quanto a bons hábitos.

O indicado é que as visitas ao dentista sejam feitas ao menos 2 vezes ao ano (6 em 6 meses).

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

               
Artigo anterior

Deixe seu comentário