Especialidades

A cirurgia na gengiva vem para realçar seu sorriso. Corrigindo o volume gengival que pode atrapalhar, deixando a gengiva amostra e encurtando os dentes.

Além disso, essa alteração no tamanho da gengiva pode ser um problema que vai muito além da estética. Sendo assim, é importante corrigi-lo antes que se torne um problema complicado.

Desse modo, conheça mais a respeito da cirurgia na gengiva, bem como seus tipos, cuidados e para que é feito:

Como é feita cirurgia na gengiva

Como é feita cirurgia na gengiva?

Atualmente, não existe apenas um tipo de cirurgia na gengiva, o que significa que não existe apenas uma maneira de realizá-la. Além disso, o motivo de sua realização varia de acordo com a situação.

Geralmente os motivos de sua realização estão associados a hiperplasia ou retração gengival, e também pode ser feita por motivos puramente estéticos.

Portanto, cada uma dessas causas refere-se a uma cirurgia diferente, sendo que mesmo quando é feita por um motivo funcional, acaba sendo motivo de uma revolução interna.

Tipos de cirurgia de gengiva

Assim como foi dito acima, existem diferentes tipos de cirurgia na gengiva e eles podem estar ligados a diferentes fatores.

Dessa maneira, conheça os principais tipos de cirurgia na gengiva utilizados atualmente:

Gengivectomia

A gengivectomia é uma cirurgia na gengiva que tem o objetivo de resolver problemas causados pela hiperplasia gengival, que é o crescimento excessivo da gengiva.

Esse crescimento gengival normalmente é causado por:

  • Inflamações: geralmente ocorre por acúmulo de placa gengival causada por higienização apropriada e pode levar ao surgimento de doenças, como gengivite e periodontites.

Para evitar esse problema é importante ter uma higienização bucal adequada, a fim de evitar possíveis focos de doenças gengivais;

  • Medicamentos: a utilização de alguns medicamentos pode causar a hiperplasia gengival como efeito colateral de seu uso.

Porém seu uso não deve ser interrompido e nem sua dose alterada, pois alterações na quantidade utilizada podem causar complicações indesejadas. Portanto, nesse caso não há maneiras de se impedir o problema;

  • Hereditariedade: não é novidade que os genes herdados dos pais influenciam diretamente no desenvolvimento do corpo humano.

Portanto, quando a hiperplasia gengival é uma condição já existente nos pais, os filhos podem herdá-la. Dessa maneira, não existe forma de evitá-la quando essa é a causa.

Quando esta é a causa, os sinais podem não ser perceptíveis durante a infância ou se manifestar somente durante a fase adulta;

  • Alterações hormonais: existem algumas condições de saúde e tratamentos que podem causar alterações hormonais no paciente.

E em alguns casos, essa mudança pode causar o crescimento excessivo da gengiva.

O procedimento em si é simples, feito com anestesia local. Ele consiste na remoção do excesso gengival, o que significa que o dentista remove alguns milímetros de gengiva para corrigir o volume.

Com a remoção do excesso podem ser evitados problemas relacionados ao acúmulo de placa sob a gengiva e também há um reganho de autoestima do paciente devido a eliminação do sorriso gengival.

Gengivoplastia

A gengivoplastia é uma cirurgia que, assim como a gengivectomia, tem o objetivo de remover o excesso gengival. Porém, a diferença entre os dois procedimentos se baseia na forma como é feito e o objetivo final.

A gengivectomia tem o objetivo apenas de garantir que o excesso gengival seja removido, já a gengivoplastia procura promover o contorno da gengiva nos dentes.

Portanto, esse é um procedimento que pode ser feito em pessoas que não possuem hiperplasia, o que leva a diferença entre os dois procedimentos se basear no fato da gengivoplastia ser utilizada com objetivo mais estético.

Assim sendo, os motivos de realização dela são em grande parte das vezes puramente estéticos, visto que ela consegue garantir um sorriso mais agradável.

Enxerto de gengiva

Diferentemente dos dois processos mencionados acima, essa o enxerto gengival tem como objetivo resolver problemas relacionados à retração gengival.

A retração da gengiva é um problema onde há insuficiência no volume gengival, desse modo, ela está diretamente ligada com a exposição da raiz do dente.

Essa exposição da raiz, além de ser um problema estético, pode causar problemas mais complicados como sensibilidade dentária e cárie radicular.

Normalmente esses problemas acontecem devido ao fato de a raiz do dente não possuir a camada de esmalte, o que deixa sua dentina exposta, tornando-a mais vulnerável a esses problemas.

A retração gengival é um problema que geralmente está ligado a:

  • Uso excessivo de força na escovação e/ou durante o uso do fio dental;
  • Periodontites;
  • Desalinhamento dental;
  • Bruxismo;
  • Danos a gengiva causados por traumas;
  • Fatores genéticos.

Portanto, essa cirurgia de gengiva é recomendada para evitar possíveis complicações relacionadas à falta de tecido gengival.

Além disso, para evitar a retração, é importante rever os hábitos de higiene bucal para analisar se não está há o uso excessivo de força na escovação.

Juntamente com isso, é importante que a higienização esteja sendo feita de maneira correta para evitar periodontites. Devido ao fato de também poder ser causado pelo desalinhamento dentário ou bruxismo é importante tratá-los o quanto antes.

Quando é feita a cirurgia da gengiva?

Com isso vemos que a cirurgia na gengiva normalmente é realizada quando há a possibilidade de complicações relacionadas ao volume gengival.

Sendo a maior exceção a gengivoplastia, que geralmente é utilizada com fins estéticos, visando a melhor aparência do sorriso.

Dessa maneira, é possível concluir que a cirurgia na gengiva pode ser feita por qualquer um que tenha algum problema relacionado ao seu desenvolvimento ou queira uma melhora na estética do sorriso.

Cuidados

Apesar de a cirurgia na gengiva ser um procedimento relativamente simples, o local em que é realizada pode fazer com que seu pós-cirúrgico seja um processo que necessita que o paciente siga estritamente todas as recomendações do profissional.

Portanto, os cuidados recomendados para evitar possíveis complicações no procedimento são:

  • Tomar bastante cuidado durante a higienização bucal;
  • Evitar alimentos quentes, ácidos e rígidos, sempre dando preferência a alimentos frios e macios;
  • Não bochechar ou tocar a cirurgia diretamente;
  • Evitar o consumo de cigarros e bebidas alcoólicas, assim como a exposição solar;
  • Respeitar o tempo de repouso e cicatrização.

Como parar sangramento na gengiva após cirurgia?

Após a cirurgia na gengiva é normal existir a presença de sangramento, porém, em caso de sangramento excessivo, o paciente pode utilizar uma gaze limpa na tentativa de interromper o fluxo.

Além disso, independente de ter sido interrompido ou não, o dentista deve ser avisado e marcado uma visita para avaliação.

Quanto tempo demora para cicatrizar uma cirurgia na gengiva?

Geralmente o tempo de cicatrização desse procedimento tem a duração de 2 semanas, sendo que a cicatrização total pode demorar até um mês.

Cirurgia na gengiva valor

A cirurgia na gengiva não possui um valor fixo, dessa maneira seu preço pode variar de acordo com o profissional, clínica e procedimento escolhido, além da região onde será realizado.

Dessa maneira, o valor da gengivectomia e gengivoplastia costuma variar de R$ 300 (trezentos reais) a R$ 800 (oitocentos reais) por segmento dentário.

Enquanto isso, o valor do enxerto gengival gira em torno de R$ 100 (cem reais) a cada dente. Sobretudo, é importante lembrar que esses são valores médios, portanto podem variar para cima ou para baixo.

Cirurgia na gengiva antes e depois

Cirurgia na gengiva antes e depois

Assim como citado anteriormente, a cirurgia na gengiva é realizada em casos de retração ou hiperplasia gengival. Portanto antes de sua realização o paciente está sujeito a complicações relacionadas ao excesso ou falta do tecido gengival.

Sendo assim, após sua realização, o paciente fica livre dos riscos gerados pela variação no volume gengival, além disso, a cirurgia na gengiva também garante que o paciente tenha um aumento na autoestima pela correção do tamanho da gengiva ao sorrir.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares à clínica odontológica são essenciais para que seja feita a ação preventiva e o acompanhamento ideal da cirurgia na gengiva.

É mantida a periodicidade no consultório que se é capaz de ser feita a avaliação devida não só para a cirurgia, mas também para demais tratamentos odontológicos.

O indicado é que as visitas ao dentista sejam feitas ao menos 2 vezes no ano (6 em 6 meses), no entanto, diante de procedimentos como esse, os intervalos devem ser reduzidos.

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário