Especialidades

Cirurgia ortognática é um dos processos cirúrgicos por trás das correções das anomalias que atingem os ossos da mandíbula, e assim, o alinhamento da dentição.

Quando a mandíbula, maxila e cornetos não estão corretamente posicionados, há o impacto negativo não só da estética facial, mas também nas funções essenciais de seus movimentos.

Saiba mais sobre a cirurgia ortognática e como funciona. Boa leitura!

O que é cirurgia ortognática?

Como dito, a cirurgia ortognática se trata da solução para as anormalidades quanto à posição dos dentes e dos ossos que formam a mandíbula. Essas anomalias podem assumir diferentes graus de assimetria, afetando na abordagem a ser feita.

Uma vez que esse posicionamento não está correto, o bom funcionamento das articulações que atuam na mordida, na respiração e no bom estado dos tecidos periodontais.

As variações que são advindas dessa colocação são chamadas de anomalias dentofaciais, e comumente são relacionadas ao crescimento dos maxilares, e podem levar a distúrbios da mordida, articulações e respiração.

A cirurgia ortognática é capaz de proporcionar segurança e resultados satisfatórios, e assim, na melhor qualidade de vida do paciente, levando em conta a melhora significativa da autoestima.

Por fim, esse procedimento proporciona um rosto mais harmônico, além de amenizar as marcas de cicatrizes, uma vez que a abordagem é realizada na parte interior da boca.

cirurgia ortognática

Quando a cirurgia ortognática é indicada?

Tendo em vista que esse procedimento cirúrgico não possui apenas finalidade estética, também é indicado em casos de debilidades envolvendo as estruturas envolvidas. Debilidade essa que possui causas genéticas.

Desse modo, a cirurgia ortognática é indicada em casos de crescimentos exagerados e diante a uma disposição anormal, além de ser uma opção de tratamento para disfunções na articulação temporomandibular (ATM).

Para a sua realização, é necessário que previamente seja feita uma série de avaliações do dentista, logo após estabelecido o diagnóstico do quadro em que paciente se encontra.

Geralmente, em crianças há a correção do problema pelo o uso de aparelhos ortodônticos e ortopédicos, que também são capazes de atuar no controle do crescimento ósseo. No entanto, caso o paciente for adulto, a abordagem ortodôntica não é suficiente, visto que o processo de alongamento das estruturas do rosto já terá sido concluído.

Ademais, diante de casos mais graves, a cirurgia pode ser feita no final do crescimento ósseo, isso quando quando o portador for criança. No entanto, essa forma de atuação é considerada quando as malformações identificadas são mais sérias e resultam em deformações estéticas que levam a perda da autoestima e problemas psicológicos.

Para o tratamento dessas condições mais severas, pode ser necessário uma segunda sessão corretiva, logo após encerrar o crescimento do indivíduo. 

Como é feita a cirurgia ortognática?

A preparação para a cirurgia ortognática geralmente se inicia por meio de um tratamento ortodôntico, uma vez que o uso do aparelho colabora com o reposicionamento correto dos ossos da parte interna da face e assim das arcadas dentárias.

Nessa parte do tratamento se visa primeiramente a junção dos dentes da arcada superior e os pertencentes a arcada inferior, solucionando assim, o problema de oclusão dentária. Dessa forma, o ortodontista prepara as arcadas dentárias para que o cirurgião solucione a oclusão de vez no processo cirúrgico. Isso pela locomoção dos ossos de sustentação.

Logo, após a preparação da arcada, a cirurgia pode ser simulada por meio de uma tecnologia de abordagem em um computador. Assim sendo, o paciente pode alinhar suas expectativas com seu cirurgião-dentista, tal como ser capaz de visualizar o resultado final do procedimento.

Por fim, no pós-operatório alguns cuidados devem ser tomados para o sucesso do procedimento e da recuperação tranquila do paciente. Esses cuidados por sua vez devem estar alinhados segundos as orientações do profissional e estão relacionados a fonação, a dieta, e a higienização bucal.

Como é a recuperação da cirurgia ortognática?

A recuperação da cirurgia ortognática requer alguns cuidados específicos para evitar a incidência de complicações. A alimentação deve-se basear em alimentos líquidos e que não exigem muito da mastigação. É necessário assim, uma dieta equilibrada e mais saudável.

É comum durante as primeiras semanas a adaptação gerar certo incômodo, mas com o passar de 1 mês o paciente já será capaz de voltar gradualmente a suas atividades do cotidiano.

A melhora e o resultado definitivo do procedimento é conseguida no sexto mês após a cirurgia, sendo decisivo o contato com o seu cirurgião-dentista durante todo o processo de seu pós-operatório.

Após esse período o paciente é submetido a concretização do tratamento com o aparelho ortodôntico, e assim, a reparação da mordida do sorriso, processo esse que pode durar de 3 a 6 meses. É apenas depois da melhora perceptível do tratamento que terá a remoção do aparelho.

Cirurgia ortognática, antes e depois

A cirurgia ortagnática antes e depois tem como resultado final um rosto mais harmônico com melhor posicionamento da mandíbula e do queixo, além de um sorriso mais harmônico proporcionado pelo alinhamento dos dentes. 

Além do resultado estético, a realização da cirurgia ortognática renova a autoestima da pessoa, dando mais confiança e melhorando assim, suas relações.

Caso você sofra desse tipo de anomalia e tenha interesse nessa renovação, procure por um dentista especialista e solucione as anormalidades que envolvem o seu esqueleto facial e o seu sorriso.

Vale destacar que logo depois do tratamento já é possível perceber as alterações no contorno e na simetria facial, tal como nas funções fitais e na oclusão dentária. Tenha em vista que a realização da cirurgia vai além da estética, mas também visa uma melhor qualidade de vida.

Quais são os riscos da cirurgia ortognática?

Entre os riscos da execução desse procedimento estão:

  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Dor;
  • Sangramentos;
  • Edema excessivo;
  • Sensibilidade nos nervos;
  • Fraturas dentárias;
  • Movimentação mandibular e recidiva comprometida;
  • Infecção.

No entanto, essas complicações só se desenvolvem em casos em que os cuidados pós-operatório não são seguidos.

Ademais, o pós-operatório pode durar até três meses para garantir o resultado definitivo. Entre as dificuldades a serem observadas estão a limitação na abertura da boca. A adesão de exercícios fisioterapêuticos podem colaborar para o retorno da função da mandíbula e para o controle do inchaço (edema).

Quais são os riscos da falta desse procedimento?

Por fim, quem sofre com esses problemas e não procura por tratamento pode comprometer ainda mais a execução de atividades rotineiras, trazendo uma série de complicações.

Entre essas complicações mais recorrentes em quem negligência o tratamento estão as mudanças estéticas, além de problemas funcionais e respiratórios. Isso tendo em vista a direta relação da cirurgia e a qualidade de vida do paciente.

Além disso, dor e problemas quanto a mastigação podem ser percebidos na ausência do procedimento, uma vez que a musculatura facial e a mandíbula ficam igualmente comprometidas.

Mesmo com a realização da cirurgia, uma vez que os cuidados do pós-operatório não são levados em conta, o paciente está suscetível aos mesmos problemas, sendo importante considerar as orientações do dentista por todo o período de recuperação. Assim como a dieta equilibrada e a adesão de sessões de fisioterapia.

Em suma, assim como ocorre previamente ao processo cirúrgico, a abordagem por tratamento ortodôntico pode ser realizada ao final do processo, tal como a aplicação de implantes dentários e outros tipos de procedimentos que busquem um melhor efeito estético e a otimização do resultado final da cirurgia ortognática.

Cirurgia ortognática valor

Cirurgia ortognática valor

O valor da cirurgia ortognática pode variar de clínica para clínica de região e até mesmo de profissional , no entanto o preço está entre R$ 20 mil a R$ 30 mil.

Visitas regulares ao consultório odontológico

As visitas regulares ao dentista são essenciais para o bom estado da saúde bucal e das funções da face. 

É importante que as visitas ao consultório odontológico sejam periódicas para que os problemas relacionados sejam identificados em sua fase inicial e devidamente tratados, impedindo que a qualidade de vida do paciente seja prejudicada.

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário