Doenças

Faringite é um processo inflamatório resultado da lesão ou infecção dos tecidos da faringe. A faringe, popularmente conhecida como garganta, é o órgão localizado na parte posterior da boca e que vai até a passagem que leva os alimentos ao esôfago e que também leva o ar aos pulmões.

Sendo assim, a garganta pertence ao sistema respiratório e digestivo ao mesmo tempo. A garganta é coberta por um muco, e é formada por células que produzem mucosa e têm papilas filiformes. Ela pode ser divida em três estruturas: nasal, oral e laríngea.

Saiba aqui tudo sobre e como tratar a faringite:

Estruturas da faringe

A estrutura nasal desempenha a função de base e mantém o formato do nariz, auxiliando na respiração, no olfato e também na fala. Uma das partes dessa estrutura é a cavidade nasal, nela acontece a rotação do ar, o levando até a faringe, sendo como dois tubos paralelos formados por uma parede cartilaginosa.

A estrutura oral é formada por dentes, língua, gengiva, lábios, palato e bochecha. Nela acontece a primeira etapa do processo de digestão, por isso é importante que os alimentos sejam bem triturados para facilitar o trabalho feito no estômago.

A estrutura laríngea é dividida por subglote, glote e supraglote, desempenhando a função fonatória e respiratória. 

Como dito anteriormente, a faringite vem de uma infecção dos tecidos da faringe, sendo assim, provoca um desconforto ao engolir alimentos e até mesmo dor de garganta. Essa infecção pode ser causada por bactérias, como a Streptococcus pyogenes ou reações alérgicas, vindas da exposição excessiva ao ar condicionado e aos poluentes. 

Como posso me prevenir da faringite?

Como a faringite pode ser contraída através de bactérias expelidas por gotículas de saliva é importante se atentar a alguns procedimentos para evitar que essas gotículas cheguem até você.

1. Lave as mãos com frequência

Sabemos que nossas mãos são grandes portadoras de sujeira, suor e bactérias, então além de contribuir para nossa higiene pessoal a lavagem correta e recorrente das mão é de extrema importância para a minimização do transporte de bactérias, como da faringite, uma vez que na maioria das vezes as pessoas cobrem a boca e nariz com as mãos ao tossir, espirrar ou bocejar.

2. Use álcool em gel com frequência

A melhor opção de limpeza das mãos é a lavagem com água e sabão, mas na falta desses, utilize álcool em gel.

3. Mantenha o ambiente umidificado

Caso não tenha um aparelho próprio para umidificar o ar, você pode seguir alguns passos: deixar uma toalha molhada no ambiente em que estiver, utilize um aspirador de pó para eliminar pequenos resíduos de poeira, deixa as portas e janelas abertas, espalhe recipientes com água pela casa.

4. Se vacine ou faça o uso de medicamentos indicados pelo seu médico

Os antibióticos contra faringite podem ser aplicados através de uma única injeção, incluindo a penicilina (usada para o combate de bactérias sensíveis), a cefalosporinas (usada em casos de infecções bacterianas), a clindamicina (trata infecções bacterianas, articulares e até ósseas) e os macrólidos (auxilia contra as infecções respiratórias).

5. Não compartilhe talheres, copos e comidas

Os objetos de alimentação devem ser pessoais, utilizados apenas por uma pessoa, assim prevenindo que você e os demais ao seu redor sejam contaminados por bactérias que possam estar presentes nos talheres, copos e comidas originados do contato direto a boca e mãos, onde estão presentes gotículas de saliva.

6. Evite o contato com pessoas doentes, que se queixam de dor de garganta

Em casos de convivência com pessoas que estejam com dor de garganta, se possível, utilize máscaras de proteção respiratória caso esteja próximo a pessoas gripadas, evitando a possibilidade de ser contaminado.

Mulher com desconforto na garganta por conta de ar condicionado

O ar condicionado é um vilão na causa da faringite? 

O ar condicionado provoca o ressecamento do muco produzido pela garganta fazendo com que a mucosa perca a sua capacidade de prevenir o corpo contra bactérias, como a da faringite e até mesmo gripe. 

Para quem trabalha, dorme, ou simplesmente realiza atividades diárias em um ambiente climatizado o que é indicado é que mantenha sempre a umidade adequada (entre 40% e 60%), esse papel pode ser desempenhado por umidificadores.

Realize a limpeza do equipamento climatizador regularmente, sempre se certificando que os filtros estão limpos e livres de alérgenos. Sempre que possível tente deixar que o ambiente receba ventilação natural, fazendo isso através da abertura de portas e janelas. É importante que a ingestão de água seja frequente, para que a faringe (garganta) esteja sempre hidratada, evitando ressecamento.

Quem fica durante um longo período de tempo em ambientes climatizados por ar condicionado está mais exposto a contração de bactérias uma vez que esses locais ficam fechados e as pessoas mais próximas, então evite ao máximo o contato com pessoas gripadas, com faringite e outras doenças transmissíveis por gotículas de saliva que podem ser expelidas através de tosse, espirros e até mesmo da fala.

Além disso, as mudanças frequentes de temperatura podem ocasionar choque térmico, fazendo com que  a garganta fique irritada, causando dor, dificuldade na deglutição (ingestão) e rouquidão (sintomas da faringite).

Banner "conheça os planos dentalvidas"

Como identificar os sintomas da faringite

Os sintomas da faringite são caracterizados por:

  • Coriza
  • Febre
  • Tosse
  • Dor de garganta 
  • Rouquidão 
  • Garganta extremamente seca 
  • Dificuldade para engolir alimentos

Além desses, é possível perceber que a mucosa da faringe fica coberta por uma uma fina pele branca ou pus.

A coriza é uma secreção que ocorre devido a inflamação da mucosa do nariz. É mais comum que tenha a cor transparente ou até mesmo esbranquiçada.

A febre pode ser um dos sintomas da faringite, mas sendo febre baixa que varia entre 38,1º e 39º.

A tosse é definida pela expulsão forçada do ar dos pulmões, com o objetivo de limpar as vias aéreas e proteger o pulmão dos pequenos fragmentos de substâncias inaladas. 

A dor de garganta pode ser sentida após engolir algum alimento ou até mesmo sem fazer nenhum esforço, devido a inflamação presente na faringe.

A rouquidão, que também pode ser conhecida como disfonia, interfere na habilidade de fala, fazendo com que o som da voz saia com falhas e dificuldade.

Ao sentir que sua garganta está extremamente seca, a indicação é que se tome água em temperatura ambiente, para evitar o desgaste e o choque térmico nas cordas vocais.

Também chamada de disfagia, a dificuldade de ingerir alimentos, líquidos e até saliva, além de ser um dos sintomas da faringite pode ser preocupante, visto que, interfere na alimentação, fazendo com que quem sofre com esses sintomas deixe de se alimentar da forma correta.

Mulher com mão acima de garganta que está destacada na imagem para evidenciar desconforto

Possíveis formas de como tratar faringite

Os tratamentos para faringite são de fácil acesso e são específicos para cada tipo. 

Para a faringite causada por bactérias é indicado medicamentos que ajudam no alívio de dores, inflamações e sintomas da doença, chamados de medicamentos sintomáticos.

Vale lembrar que esses medicamentos não agem diretamente no controle da doença, mas sim para neutralizar seus sintomas.

A umidificação do ambiente é indicada tanto para prevenção como para o tratamento da faringite, uma vez que tem o objetivo de diminuir o ar seco e faz com que consigamos respirar melhor. A umidificação pode ser feita através de aparelhos específicos para isso, ou de forma caseira, como o uso de toalhas molhadas, balde de água nos cômodos da casa e com o arejamento da casa pela abertura de portas e janelas para que o ar fresco e natural entre.

Atrelado a isso, a higiene nasal é de extrema importância no processo de tratamento, servindo para descongestionar as vias nasais e mantê-las sempre limpas da secreção e coriza causadas pela faringite. Ela pode ser feita com soro fisiológico, sendo aplicado por uma seringa.

O repouso também é  importante para que o corpo se sinta mais descansado e aliviado após ser atingido por tantos sintomas.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são fundamentais para a manutenção dos cuidados com a arcada dentária, uma vez que é por essas visitas ao consultório que o paciente tem acesso aos benefícios de tratamentos preventivos como a profilaxia (limpeza profissional) e tratamentos precoces de doenças.

É por essa frequência que o dentista consegue avaliar a condição dos dentes, analisando e tratando problemas em sua fase inicial. Além disso, pelas avaliações são passadas orientações para com a adesão de bons hábitos da higiene e alimentação.

O indicado é que a frequência mantida ao consultório odontológico seja de ao menos 2 vezes ao ano (de 6 em 6 meses) para que os benefícios sejam mantidos.

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família!

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

Banner "conheça os planos dentalvidas"

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário

Qual o melhor remédio para dor de dente? SAIBA AQUI Quais são os tipos de lesão bucal? DESCUBRA AQUI Cores de aparelho que não desbota? Veja aqui quais são! Qual o melhor remédio para mau hálito? Confira a lista Invisalign: descubra quais são as vantagens do aparelho Como ter os dentes perfeitos dos sonhos? CONFIRA Descubra os tipos de piercing na boca e como cuidar Conheça as causas por trás do DENTE TORTO
Qual o melhor remédio para dor de dente? SAIBA AQUI Quais são os tipos de lesão bucal? DESCUBRA AQUI Cores de aparelho que não desbota? Veja aqui quais são! Qual o melhor remédio para mau hálito? Confira a lista Invisalign: descubra quais são as vantagens do aparelho Como ter os dentes perfeitos dos sonhos? CONFIRA Descubra os tipos de piercing na boca e como cuidar Conheça as causas por trás do DENTE TORTO