Saúde Bucal

O dente podre é uma das principais motivações da visita ao consultório odontológico. Seu aparecimento está diretamente ligado a ausência da adesão dos bons hábitos na rotina.

Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre o dente podre, quais são as suas causas, consequências à saúde bucal e suas melhores formas de tratamento:

O que é dente podre?

O dente podre é o nome popular ao estado de um componente da arcada dentária comprometido por determinado problema bucal. Normalmente o dente se encontra estragado ou totalmente danificado.

Uma vez identificado, o dente podre é capaz de trazer uma série de complicações que tendem a ser irreversíveis, seja a estética do sorriso ou funcional (fala ou mastigação).

Logo, o dente podre, além de comprometer a autoestima do individuo e suas relações, compromete em sua qualidade de vida.

O que pode ser o dente podre?

O dente podre pode ser associado a uma série de problemas bucais, que podem depender do desempenho de alguns hábitos ou de fatores genéticos.

A principal motivação para o dente podre é a cárie. A falta de uma higienização adequada pode fazer com que a placa bacteriana evolua e forme a cárie. No entanto, na falta do tratamento adequado, a cárie pode se tornar profunda, chegando até mesmo a raíz do dente, proporcionando assim aparência apodrecida.

Outra possível associação a esse estado é a perda óssea, em que o suporte do osso mandibular não é suficiente para que haja a firmeza do dente durante a mastigação de alimentos.

Dentes que possuem grandes quantidades de restaurações ou trabalhos protéticos e que foram fraturados em um local em que o dentista não consegue mais recuperar também podem ser considerados “podres”.

Quais são as principais causas do dente podre?

O dente podre e ao que ele está associado, como a cárie, podem ser causados por algumas causas principais, tais como:

  • Má escovação;
  • Higiene bucal incompleta;
  • Má alimentação;
  • Ausência da ingestão adequada de água;
  • Falta das visitas regulares ao dentista.

Quais são os sintomas mais comuns?

Tendo em vista as principais motivações para o dente podre, o aparecimento da cárie é um dos principais sinais a serem percebidos, sendo caracterizada por uma mancha escura no esmalte e que pode evoluir para uma fresta e um buraco no futuro.

A gravidade do problema pode ser percebida no estágio dessa evolução e na proporção da lesão cariosa. Percebida a lesão, sintomas com dor e sensibilidade ao ingerir alimentos muito quentes ou gelados podem ser sentidos.

Entre demais sintomas comuns estão a halitose (mau hálito), dentes amarelados, inchaço da gengiva, aparecimento de tártaro, desgaste dentário e dificuldade na mastigação.

É importante que ao serem identificados esses sintomas, é importante que o dentista seja urgentemente contatado, evitando momentos constantes de incômodo e que a situação se agrave ainda mais. 

Vale ressaltar que na falta de tratamento, a cárie pode evoluir para problemas ainda mais graves.

criança com dente podre

Criança com dente podre, como se desenvolve o dente podre infantil?

Um dente extensamente cariado pode atingir não só adultos, mas também crianças. O dente podre infantil é muito comum e está diretamente relacionado a ausência da prática de bons hábitos no cotidiano.

Além da falta de uma higiene bucal adequada, crianças tendem a ingerir uma grande quantidade de doces e alimentos com alto teor de açúcar. Esses alimentos tendem a grudar nos dentes, fazendo com que não sejam removidos facilmente dos dentes, ainda mais com uma higienização debilitada.

Nesse caso, é importante que a ingestão de alimentos açucarados seja controladas pelos pais, assim como as boas práticas de higiene bucal devem ser sempre relembradas e acompanhadas diariamente.

Afinal, o que fazer quando identificado o dente podre? Quais as formas de tratamento?

Ao perceber os sintomas, o primeiro passo é recorrer a avaliação pelo dentista para que seja feito o diagnóstico preciso. Após o atestado de dente podre o paciente é encaminhado para o tratamento mais indicado para o seu caso. Entre os possíveis tratamentos estão:

Obturação do dente

O procedimento de obturação é um tanto invasivo e é baseado na anestesia da zona bucal e no uso de uma broca própria para a remoção da parte estragada do dente. Logo após, o dentista preenche a lacuna causada com um material de escolha, sendo os mais comuns porcelana e resina composta.

Dessa forma, há a remoção do problema e a reabilitação dos fatores estéticos e funcionais do dente, além de prevenir infiltrações e novos transtornos.

Restauração do dente

Com a mesma base da obturação, a principal diferença entre os dois procedimentos é que na restauração há a maior preocupação estética, se preocupando mais com a finalização do tratamento.

Na restauração dentária o dentista reconstrói o elemento dentário, desde a sua forma a seu tamanho, fazendo com que seja quase imperceptível no sorriso. Normalmente o material usado é uma resina mais resistente e que permite a duração do resultado da restauração por um maior tempo.

Restauração inlay/onlay

Esses tipos de restaurações, assim como a convencional, possuem como principal objetivo a reabilitação estética, podendo ser feitas tanto em resina, cerâmica ou dissilicado de lítio. 

No entanto, a técnica utilizada pode ou não realizar o recobrimento dos cúspides dos dentes, sendo possível recuperar dentes que foram estiveram comprometidos por muito tempo.

Tratamento de canal

O tratamento de canal é a opção quando há a necessidade de se retirar a polpa do dente, tecido encontrado na parte interna da estrutura dentária. Assim a polpa dentária é removida e em sequência é feita a limpeza do espaço, que é preparado e preenchido. 

Normalmente o tratamento de canal é indicado em casos de infecção na polpa ou em que essa parte do dente se encontra morta, seja pela evolução da cárie, pela incidência de traumas e fraturas.

Coroas dentárias

Coroa é o nome que se dá a parte externa do dente que é visível ao sorrir. Dessa forma, o procedimento que visa a sobreposição dessa estrutura dentária é chamado de coroas dentárias.

No procedimento de coroas dentárias, as coroas artificiais são bem similares as naturais, sendo uma cobertura do local do tratamento de canal. Normalmente são confeccionadas à partir de cerâmica (porcelana), zircônia ou dissilicato de lítio, sendo praticamente idênticas aos dentes originais.

Coroa dentária com núcleo

A coroa com núcleo poderá ser a solução do dente podre quando o que sobrou do componente dentário é somente a raiz do dente. Dessa forma, a reconstrução é feita à partir da técnica de uma coroa com núcleo, em que se coloca um pino diretamente na raiz, em que ele ficará fixado, e assim, há a sobreposição com a coroa especifica.

Extração do dente

A extração do dente é feita em último caso, em que o dente não possui mais possibilidade de reparação ou concerto. Nesse caso, o dente é removido, seja pela raiz ou somente a parte acima da gengiva.

No entanto, mesmo após a remoção do dente, ainda há a possibilidade de preenchimento do espaço do dente. Entre os procedimentos que podem ser ultilizados para a reabilitação estética ou funcional do(s) dente(s) estão: Implante dentário, próteses fixas, próteses móveis e dentaduras.

Para se evitar procedimentos mais invasivos é importante que o dentista seja contatado o quanto antes e na fase inicial do problema.

dente podre na boca

Quanto custa para extrair um dente podre na boca?

Em meio a uma situação grave a ponto de ser indicada a extração do dente, deve-se ter em vista que a situação pode ainda piorar.

Logo, o valor da extração do dente podre pode variar dependendo da gravidade do problema e do quadro clínico do paciente, além de variar pelo dentista e pela clínica.

O preço médio desse processo cirúrgico pode ir de R$100 (cem reais) a R$200 (duzentos reais), considerando os fatores clínicos e o local da extração.

Como prevenir o dente podre?

A ação preventiva ao dente podre está justamente na adesão de boas práticas de higiene bucal, pois por meio delas é possível evitar o acúmulo de bactérias e por fim a cárie. Entre as medidas a serem aderidas, estão:

  • Escovar os dentes ao menos duas vezes ao dia, usando uma escova de cerdas macias e creme dental com flúor;
  • Fazer a passagem do fio dental e o bochecho com o enxaguante bucal diariamente;
  • Evitar alimentos muito açucarados, muito pigmentados e grudentos;
  • Adicione alimentos “detergentes” em sua dieta, como maça, kiwi e cenoura;
  • Ingerir alimentos que tendam a normalizar o pH da boca, como queijo amarelo;
  • Evitar maus hábitos como fumar e ingerir bebidas alcoólicas;
  • Visite regularmente o seu dentista.

Visitas regulares ao dentista

É pelas visitas regulares ao dentista que se realiza não só a ação preventiva do dente podre, mas também o seu tratamento precoce.

Nas sessões no consultório odontológico o dentista irá analisar a qualidade das boas práticas e orientar o paciente para um melhor resultado.

Por fim, é por meio dessas idas periódicas que procedimentos também regulares podem ser feitos, como a profilaxia (limpeza profissional), que deve ser feita de 6 em 6 meses.

Vale ressaltar que é somente pelo tratamento ideal que o problema é solucionado e o incômodo aliviado.

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Veja aqui qual o plano odontológico DentalVidas mais combina com você!

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário