Saúde Bucal

Os dentes de leite são o primeiro contato que temos com a dentição e também dos cuidados necessários.

Você sabe o que são os dentes de leite, quais são, suas funções e porque caem? Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre:

O que são os dentes de leite?

Os dentes de leite ou dentes decíduos (que se soltam naturalmente em algum período), são a primeira formação da dentição em humanos, ajudando quanto a fala, mastigação e deglutição.

Com essa função começam a se desenvolver nos primeiros anos de vida, no entanto, durando por apenas um certo período de tempo, já que o funcional do sorriso começa a exigir uma maior resistência da arcada dentária.

O período do nascimento dos dentes de leite tende a começar do quarto ao sétimo primeiros meses, indo até os 2 anos da criança, quando a primeira dentição está completamente formada.

É muito importante que o período do nascimento da primeira dentição esteja acompanhado pela realização do raio x de dente de leite, prevenindo e identificando complicações em sua fase inicial.

Quantos são os dentes de leite?

No geral, nossa vida é marcada pelo nascimento de 20 dentes de leite, sendo 10 desenvolvidos na parte superior da arcada dentária e 10 na arcada inferior da zona bucal.

Os 20 componentes da dentição decídua ou primária eram compostos por dentes incisivos centrais, incisivos laterais, caninos e molares. Não há pré-molares na dentição primária.

Mesmo que sejam apenas provisórios, os cuidados quanto a higiene bucal adequada e com uma boa alimentação também devem estar presentes aqui. Isso se deve ao fato de que também os dentes de leite estão sujeitos ao aparecimento de problemas bucais, que podem comprometer a saúde bucal e até mesmo o desenvolvimento saudável dos dentes permanentes.

Logo, ao sinal da dentição a higienização passa a ser uma maior preocupação, assim como deve ser o ponto de partida das primeiras visitas ao odontopediatra.

Dentes de leite e dentes permanentes, quais as principais diferenças?

A primeira diferença dos dentes de leite para com os permanentes está justamente em como eles são chamados. A origem da expressão “dente de leite” se refere a sua coloração mais esbranquiçada, que se assemelha a do leite.

Outra diferença característica, é a quantidade de dentes representados pela arcada completa. Enquanto a dentição decídua compreende o total de 20 dentes, a permanente pode chegar a 32, contando com os terceiros molares (sisos).

Esse contraste pode ser justificado pelo fato da boca da criança não ter espaço suficiente para a acomodação de tantos dentes, excluindo assim os pré-molares e sisos de sua formação, que surgem na fase de troca.

Por fim, a proporção de um dente decíduo em comparação a de um dente permanente é consideravelmente menor, além de serem menos resistentes, o que permite que eles sejam mais suscetíveis a cáries profundas.

dente de leite tem raiz

Dentes de leite tem raiz?

Ao contrário do que muitos pensam, os dentes de leite possuem sim raiz dentária, mesmo não sendo duradouros. Afinal, são elas que sustentam o restante das estruturas dentárias.

No entanto, as raízes da dentição primária também são diferenciadas, além de serem menores são mais alongadas e finas.

Além da raiz, o dente de leite também é constituído de esmalte, dentina e canal (polpa dentária). Por sua vez, a raiz só terminará de ser formada depois de 1 ano do aparecimento do dente de leite.

Quais são os dentes de leite que caem? Todos os dentes de leite caem?

Tendo em vista que irão dar lugar aos dentes permanentes, todos os dentes de leite devem cair, sendo algo natural e gradual.

O primeiro sinal de desenvolvimento da arcada dentária permanente aparece aos 6 anos de idade como o aparecimento dos primeiros molares permanentes, que se posicionam logo atrás do último dente de leite (segundo molar), não havendo troca.

Vale ressaltar que cada criança é de um jeito e a queda pode ou não seguir a ordem de nascimento. Contudo, é bem comum que os primeiros dentes a cair sejam os da frente. O dente permanente, por sua vez, pode demorar 3 meses para aparecer por completo.

A queda dos dentes de leite então começa à partir dos 6 anos de idade, e a substituição geralmente ocorre entre os 11 e os 13 anos de idade, sendo a possível data limite para o processo.

No entanto, como cada caso é um caso, é possível que mesmo na adolescência haja a presença de alguns dentes de leite, uma vez que não acompanharam o tempo certo da queda. Casos em específico devem ser acompanhados pelo dentista, já que pode ser um fator bastante prejudicial para o desenvolvimento dos dentes da arcada permanente.

Como é o nascimento dos dentes de leite?

Como dito, o processo de nascimento dos dentes de leite é gradual e pode durar alguns anos. A dica para não ser pego desprevenido é acompanhar o seu amolecimento.

Se tratando de um ser humano frágil e bastante sensível, o nascimento dos dentes decíduos pode ser bastante doloroso e desconfortável para o bebê. Por isso, é necessário que os pais busquem acompanhar todo o processo, se certificando de torná-lo o mais tranquilo possível.

Buscando amenizar o incômodo, o indicado é que se faça massagens, com o dedo limpo e envolto em gaze ou fralda umedecida com soro fisiológico. Dessa forma, são realizados movimentos circulares e suaves em volta da gengiva do bebê ou criança.

Para gerar alívio, o uso de mordedores resfriados e a ingestão de alimentos e bebidas frios e gelados também são indicados, já que possuem propriedade anti-inflamatória.

dente leite

Quais cuidados se deve ter com os dentes de leite?

Por ser um processo totalmente natural, não costuma precisar de intervenções, seja recorrer a extração do dente pelo dentista ou a métodos caseiros. Porém, é importante saber lidar com esse processo da forma correta, aderindo certos cuidados.

Considerando que os dentes de leite são estruturas essenciais para o nascimento dos dentes permanentes, a higiene bucal deve ser feita de forma adequada.

A higiene bucal para recém nascidos requer ainda mais atenção, já que são menos resistentes à ação de bactérias, que podem comprometer não só a estética, mas também as funções vitais.

Segundo a Associação Brasileira de Odontopediatria a higienização bucal do bebê deve se iniciar logo após a erupção do primeiro dente. Assim sendo, o indicado pelo Ministério da Saúde é que ela seja feita com a passagem leve de um tecido limpo ou gaze  molhada em água filtrada. O ideal é que esse processo se repita após as refeições.

A partir desse momento, a orientação do dentista especialista é fundamental.

Após a finalização da arcada e com a erupção dos primeiros dentes até 1 ano de idade, a escovação com uma escova de cerdas macias, cabeça pequena e corpo largo pode ser iniciada. Opte por uma escova própria para o público infantil, tal como um creme dental com flúor acima de 1000 ppm.

Após o 1 ano de idade, a escovação também deve ser moldada, optando por uma pasta de dente com uma menor concentração de flúor, evitando manchas e que o produto seja engolido pela criança. A escova deve fazer movimentos leves de frente para trás.

O indicado é que a quantidade de pasta se assemelhe à unha do dedinho do bebê ou a um grãozinho de arroz e que a escovação ocorra ao menos 2 vezes ao dia.

Com o tempo, o ideal é que os ensinamentos sejam passados para uma higienização autônoma e eficiente, aderindo a passagem de fio dental e a do enxaguante bucal, que não deve ser composto de álcool e nem de uma grande quantidade de flúor. Busque sempre a orientação do odontopediatra para que ocorra a mudança.

Quais problemas podem atingir o dente de leite?

Assim como a arcada dentária permanente, a dentição de leite está passiva a uma série de complicações bucais, isso pela falta da higienização adequada. Além disso, os primeiros anos de vida estão marcados pela ingestão de líquidos e alimentos açucarados, que podem dificultar a higiene bucal e tornar o local mais propício à proliferação de bactérias.

Entre os principais problemas que atingem esse primeiro momento está a cárie de mamadeira, que por geralmente conter grande quantidade de açúcar, favorece o acúmulo de microrganismos e a formação de um pH ácido que danifica os dentes da boca.

Caso haja a percepção da lesão cariosa, o dentista pode encaminhar a criança para um tratamento de canal.

A ingestão exagerada de flúor também pode influenciar um problema de fluorose dentária, que é identificada pelo aparecimento de manchas que vão escurecendo com o tempo. Nesse caso, o profissional analisa o caso e seleciona o melhor tratamento, como o de microabrasão.

Além disso, nem sempre os dentes de leite nascem de forma correta, o que pode comprometer o posicionamento da dentição permanente. Seja dentes tortos, apinhamento dentário ou mordida cruzada, diante de algum desses problemas, um tratamento ortodôntico pode ser indicado para sua solução nessa fase.

Visitas regulares ao dentista

A ida ao dentista desde os primeiros dentes é o ideal para que essas complicações sejam diagnosticadas e tratadas de forma precoce.

Logo, é pelo acompanhamento odontológico e pela a adesão de bons hábitos que problemas dentais que são capazes de atingir não só a dentição primária, mas também a permanente, são resolvidos da forma adequada.

É também por essa frequência que o odontopediatra dá orientações importantes para a passagem estável dessa fase.

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário