Saúde Bucal

A escova interdental ou escova interproximal é um dos aliados da saúde bucal, principalmente para pessoas que estão passando por um tratamento ortodôntico.

Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre a escova interdental, sua importância, como é o seu uso e quanto custa:

O que é escova interdental?

Existem vários tipos de escova de dente, e dessa forma, é importante consultar o dentista para que ele indique a melhor opção.

Para quem está passando por um tratamento ortodôntico, o cuidado com a higiene bucal deve ser ainda maior, considerando as peças do aparelho ortodôntico fixo, o braquete, o fio ortodôntico e as borrachinhas.

A escova interdental é uma das indicações para ajudar na higienização dos dentes durante o uso do aparelho, já que o fio ortodôntico dificulta a passagem manual do fio dental.

É uma escova diferente da tradicional e que tem como objetivo principal a remoção da placa bacteriana em locais em que a escova convencional não é capaz de alcançar. Para isso, ela possui um cabo de plástico e uma cabeça com cerdas, que podem ser cônicas ou cilíndricas, presas por um fio, facilitando a limpeza entre os dentes.

Qual a importância da escova de dente interdental?

Durante o tratamento ortodôntico com um aparelho convencional, é comum que os pacientes realizem uma má higienização, colaborando para o desenvolvimento de doenças bucais, como cárie, gengivite e periodontite.

Deve-se então considerar que a escova interdental é um complemento à escovação com a escova tradicional, possibilitando uma melhor higienização no espaço entre os dentes. Dessa forma, se evita o acúmulo de placa bacteriana nas áreas mais escondidas da boca, mantendo uma boca saudável enquanto é feito o alinhamento dos dentes.

Assim como o fio dental, seu uso deve ser diário para que se possa atender às necessidades bucais de cada pessoa.

Além de pessoas que estejam passando pelo uso de aparelho ortodôntico, quem faz o uso de prótese dentária também pode recorrer a escova interdental, prevenindo complicações nos dentes adjacentes.

Entre demais indicações estão arcadas dentárias com implantes, pontes fixas, coroas dentárias, diastemas (espaços avantajados entre os dentes), e pessoas com mobilidade limitada, como pessoas com problemas articulares e idosos.

Considerando que auxilia na melhor limpeza da arcada dentária, a passagem da escova interdental impede a ação de microrganismos, atuando no tratamento do mau hálito e dores de dente.

como usar escova interdental

Como escolher a escova interdental ideal?

A escolha da escova interdental é também importante e deve passar pela avaliação e indicação do dentista.

Dessa forma, antes de comprar uma escova interdental, recorra a ajuda de um especialista, uma vez que é necessário escolher uma que se adapte a sua arcada dentária.

O recomendado é que pessoas que possuam os dentes mais separados, busquem por uma escova mais encorpada, que consiga atingir todas as paredes. Quanto a uma arcada que possua os dentes muito juntos, o ideal é que se opte por uma de espessura mais fina. Analisar a qualidade do material também é um fator de escolha.

Contudo, é importante que mesmo com a escolha da melhor escova interdental, que seja feito o seu bom uso e a boa manutenção, devendo lavar o instrumento em água corrente depois do uso e trocar de 3 em 3 meses ou ao sinal de desgaste das certas.

Para quem usa implante dentário, as medidas das cerdas da escova devem ser acima de 0,5 mm. Além disso, diante desses tratamentos é importante manter as visitas ao dentista regulares para que o dentista avalie se está sendo feita uma boa higiene.

Escova interdental, como usar corretamente?

Para que seja feita a limpeza adequada dos dentes é necessário que o uso da escova interdental seja feito de forma adequada.

A inserção da escova interdental deve ser feita em um ângulo de 45 graus, utilizando movimentos suaves de dentro para fora. É necessário apenas uma passagem para que se tenha o efeito, com cuidado para não pressionar a gengiva.

Também deve-se considerar que quando a passagem é feita nos dentes superiores, a escova deve apontar para cima, enquanto nos inferiores, inclinando para baixo. Opte por dar preferência para os dentes da frente ou anteriores.

A passagem da escova deve ser feita perpendicularmente em relação aos dentes, em um movimento feito de fora para dentro da boca. Apenas insira e retire o instrumento para a passagem, evitando ferimentos, possíveis retrações com o tempo, abertura de espaços e até mesmo o aparecimento de pontos escuros entre os dentes.

Vale considerar que nas primeiras passagens da escova, é normal que ocorra um leve sangramento, por conta da inflamação prévia ou presente por conta da placa bacteriana. O sangramento por essa causa tende a desaparecer em até 10 dias, contudo, o uso da escova com diâmetro inadequado também pode causar o sintoma.

Por fim, a manutenção da escova interdental também é importante, evitando o acúmulo de bactérias em sua extensão.

Assim sendo, o indicado é o uso de um porta-escovas específico, com divisórias e sem capas, devendo a escova ser posicionada de forma vertical em um ambiente aberto. Lave sempre a escova em água corrente para que sejam eliminados os resíduos do creme dental e restos de alimentos.

Escova de dente para quem usa aparelho, qual a ideal?

Para que haja a boa higiene bucal da arcada dentária durante o uso do aparelho ou diante a outro tratamento odontológico, é necessário que a higienização conte com a ajuda de instrumentos específicos, tal como a escova interdental.

Buscando um auxílio ainda melhor, o dentista também pode indicar o uso da escova ortodôntica, que por sua vez é uma escova própria para fazer a limpeza dos dentes, já que possui uma anatomia que se adapta aos braquetes.

Ao contrário da estrutura com cerdas cilíndricas ou cônicas da escova interdental, a escova ortodôntica possui cerdas em formato em V, fazendo uma limpeza na parte de baixo e de cima da peça.

Considerando as particularidades das escovas, quem possui dentes espaçados devem garantir o uso de ambas para a remoção total de placa bacteriana e de restos de comidas, enquanto pessoas com dentes mais juntos, podem optar pelo uso de uma ortodôntica acompanhada do passa fio e do fio dental, com destaque ao Superfloss uma rede de fibras esponjosa.

Como a escova ortodôntica possui propriedades parecidas a da escova convencional, pode ser usada 3 vezes ao dia, substituindo e proporcionando uma limpeza mais eficiente.

Nesse caso, para que seja mantida essa eficiência é necessário realizar movimentos suaves de vai e vem, tal como movimentos circulares ou de varredura pelas superfícies do dente e pelas composições do aparelho.

Enquanto isso, o uso da escova interdental deve ser usado de forma complementar, de preferência acompanhando a escovação noturna, considerando que no período da noite a higienização deve ser ainda mais completa. Isso por conta da diminuição da salivação que facilita a proliferação de bactérias.

Dessa forma, o ideal é adotar todos os instrumentos necessários passados pelo dentista.

Sangramentos após a escova interdental, o que fazer?

É comum que em meio aos primeiros dias de uso da escova interdental, que possam ser percebidos leves sangramentos nas regiões das passagens. Esse sintoma é consequência de uma pequena inflamação no local (gengivite), por causa do acúmulo de bactérias.

Com o uso, a inflamação e seu sintoma desaparecem com poucos dias por conta da remoção do tecido inflamado resultante da higienização.

Contudo, caso o sangramento continue, interrompa o uso da escova interdental e consulte com o seu dentista. Casos que envolvam sangramentos intensos e prolongados também devem ser relatados em consultório odontológico.

Vale ressaltar que os sangramentos em grandes quantidades estão normalmente relacionados a doenças periodontais, havendo a necessidade de um tratamento qualificado e do uso da escova interdental com ainda mais cuidado.

interdental escova

Afinal, quanto custa a escova interdental?

Assim como o valor de outros instrumentos de higiene bucal, o preço da escova interdental varia quanto ao seu tipo e marca.

Dessa forma, o valor pode variar de R$ 6 (seis reais) a R$ 50 (cinquenta reais).

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são essenciais para que a saúde bucal seja mantida e para que problemas dentários da má higienização sejam detectados e tratados em seu início.

É pelas visitas regulares ao consultório odontológico que o dentista consegue avaliar a situação da zona bucal do paciente e encaminhá-lo para o melhor tratamento e a adoção de bons hábitos, tais como higienização e alimentação.

Tratamentos regulares como a profilaxia (limpeza profissional) também devem estar em dia para que os benefícios desses cuidados sejam percebidos, principalmente durante o tratamento ortodôntico.

O indicado é que as idas ao consultório sejam feitas ao menos 2 vezes ao ano – de 6 em 6 meses, podendo ser em menores intervalos de tempo em casos especiais, como o uso do aparelho fixo, em que as visitas devem ser mensais.

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário