Saúde Bucal

Escovar os dentes é um dos principais cuidados que devemos ter com a saúde bucal.

É justamente por isso que uma escovação feita da maneira errada é capaz de trazer uma série de malefícios para a zona bucal.

Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre uma escovação de qualidade e como se prevenir de problemas bucais:

Qual a importância de escovar os dentes?

 

A escovação faz parte dos bons hábitos quanto à higienização bucal. É pela escovação que se é possível fazer a limpeza da superfície visível da dentição.

Logo, uma rotina de escovação correta é essencial para evitar que a alimentação traga problemas à saúde bucal. Principalmente em casos de uma dieta baseada em alimentos muito açucarados e grudentos.

Pela alimentação, resíduos e restos de alimentos podem se fixar nos dentes, favorecendo a proliferação de bactérias e microrganismos e assim a formação da placa bacteriana (biofilme).

É pela formação e evolução da placa bacteriana que os problemas bucais mais comuns podem se desenvolver, tal halitose (mau hálito) como o tártaro, que é sua calcificação, cárie, doenças gengivais e periodontais.

Dessa forma, a escovação é uma das ações preventivas para essas complicações e uma forma de manter a dentição clara e saudável.

Qual a importância de escovar os dentes

Como escovar os dentes corretamente?

Considerando a importância da escovação, ter a noção de como realizá-la no dia-a-dia é definitiva para a prevenção dos problemas e para evitar momentos desagradáveis no futuro. Isso tendo em vista que a má escovação torna o ambiente propício para essas complicações.

Para que a escovação ocorra de forma adequada, alguns fatores devem ser considerados:

Escova adequada

Para uma limpeza eficaz, capaz de eliminar a placa bacteriana e soltar a pigmentação mais escura da arcada dentária, é necessário que a escova escolhida esteja dentro dos padrões indicados pelos especialistas.

Na hora de escolher a escova é importante se observar suas cerdas, já que o ideal é que elas sejam macias, homogêneas, com cerdas concentradas e de pontas cônicas, além de um acabamento arredondado. Isso para que se possa garantir uma limpeza eficiente sem machucar o tecido gengival ou comprometer o esmalte dentário.

Outras características a ser levada em conta é seu cabo alongado, emborrachados e ergonômicos, e cabeça pequena e arredondada, para que possa ser de fácil movimentação e que consiga chegar a áreas de difícil acesso.

Em casos de alguma debilidade motora e de dificuldade em realizar alimentos manuais, a escova de dente elétrica pode ser a melhor opção.

Creme dental adequado

Assim como a escolha ideal da escova de dentes, a escolha da pasta de dente também é determinante para uma boa escovação.

O indicado é que se opte por um creme dental com fluoretado (com flúor), sendo aplicado em uma quantidade semelhante a de uma ervilha.

Para bebês até 1 ano de idade, o ideal é usar uma pasta acima de 1000 ppm em uma quantidade semelhante a unha do neném ou a de um grãozinho de arroz.

Diante de uma saúde bucal que já se encontra comprometida por tártaro e doenças gengivais, o uso de um produto específico para o tratamento desses danos pode ser o mais recomendado.

Para evitar a ingestão da pasta de dente e do excesso do flúor na boca, deve-se cuspir sua solução restante depois de finalizada a escovação.

Movimentação correta

Para que as cerdas da escova atinjam a maior parte das áreas da zona bucal possíveis, tal como a remoção das placas, é necessário que a movimentação seja feita de forma correta.

As cerdas da escova devem encostar na área entre a gengiva e os dentes, isso por meio de movimentos verticais e circulares. Os movimentos devem ser feitos da gengiva para fora, de trás para frente, em uma frequência de 10 vezes a cada 2 dentes.

Esses movimentos também devem ser feitos na parte de dentro da dentição, e a parte de cima deve ser limpa com movimentos de vai-e-vem.

Além da dentição, a escovação também deve ser feita na mucosa das bochechas, gengivas e língua com movimentos livres de varreduras, já que também são locais propícios ao desenvolvimento de bactérias. Dentes restaurados ou artificiais também devem ser escovados com uma maior atenção.

O ideal é que a escova seja segurada em um ângulo de 45 graus, fazendo com que os movimentos abranjam a gengiva à ponta dos dentes.

Frequência

Para que se consiga prevenir o desenvolvimento das cáries e da placa bacteriana nos dentes, o indicado é que a escovação ocorra ao menos 2 vezes ao dia, sendo o ideal de uma frequência de 3 vezes ao dia, compreendendo manhã, tarde e noite.

No entanto, considerada a mais importante, a escovação noturna deve está sempre presente na rotina, já que durante a noite a salivação diminui, deixando o local propício para que o biofilme se desenvolva.

Higienização completa

Vale ressaltar que a escovação não é capaz de assumir uma limpeza 100% eficiente da boca, sendo apenas o primeiro passo de uma higiene bucal completa.

A escovação deve ser acompanhada da passagem diária do fio dental, e do bochecho também diário com um antisséptico bucal. A passagem do fio dental é responsável por remover os restos de alimentos e a placa por entre os dentes e que a escovação não é capaz de remover.

Já o enxaguante é a finalização da limpeza, removendo o restante das bactérias e dos resíduos que restantes, além de proporcionar refrescância ao hálito. O bochecho com o produto deve durar ao menos 30 segundos para ter efeito. O enxaguante, assim como o creme dental, deve ser fluoretado e usado sem exagero, na quantidade delimitada na embalagem.

Como escovar os dentes com aparelho

Como escovar os dentes com aparelho?

Para quem está passando por um tratamento ortodôntico por aparelho fixo, a escovação, assim como todo processo de higiene bucal é dificultado.

Desse modo, para que a qualidade da higienização não seja comprometida, alguns instrumentos de higiene podem ser aderidos a mais.

Entre esses instrumentos que ajudam na eficiência da escovação está a escova ortodôntica, que possui cerdas em formato em V e que limpa os espaçamentos entre os dentes, além dos braquetes e fios com mais precisão.

A escova bitufo também se mostra como uma boa escolha, contendo cerdas juntas em um único tufo, cortadas em um formato característico, que fazem a limpeza dente a dente. Essa escova facilita a escovação, uma vez que dispensa o uso de creme dental.

Outros instrumentos indicados são a escova interdental ou o passa fio, uma vez que os fios não permitem que a passagem do fio dental seja feita normalmente.

Em meio a outro tratamento, como de implantes e próteses dentárias, uma escova mais dura pode ser mais indicada. Uma escova mais dura também pode ser a melhor opção para a higienização de aparelhos móveis.

Tenha em mente que uma escovação bem-feita é definitiva para um tratamento livre de complicações.

Como fazer a manutenção da escova de dente?

Assim como a superfície dos dentes e aparelhos acumulam microrganismos, a escova de dente também pode se contaminar. Logo, é importante que se atente não só com a higiene da boca, mas também com a manutenção do objeto.

A escova de dente deve ser guardada em um local seco e com as cerdas para cima, protegidas por uma tampinha própria.

Vale ressaltar que a escova de dente é de uso pessoal, fazer o uso compartilhado do objeto pode colocar a sua saúde bucal em risco, favorecendo a locomoção de bactérias de uma boca para outra.

Por conseguinte, a escova de dente deve ser substituída com frequência, ao menos de 3 em 3 meses. Essa troca deve ser feita principalmente após a contaminação por infecções, como gripe e resfriado, evitando novos episódios da doença pelos germes aderidos às cerdas.

O período de troca pode variar ainda de acordo com o estado da escova e de suas cerdas, além das características anatômicas de cada pessoa. A perda das cerdas e desgastes são sinais de que a troca da escova já é bem-vinda.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista, assim como uma boa escovação e higienização completa, faz parte da rotina de cuidados para o sorriso perfeito.

É pelas idas ao consultório odontológico que se é possível receber as orientações do dentista a respeito do desempenho dos bons hábitos, os aprimorando juntamente a saúde bucal.

É também por essas visitas que é possível realizar procedimentos também regulares, como a profilaxia (limpeza profissional), que deve ser feita de 6 em 6 meses, 2 vezes ao ano.

Diante de sintomas como sangramentos, dor de dente, dor na gengiva, halitose constante, manchas nos dentes, que não podem ser controlados pela higiene bucal, não hesite em contatar o seu dentista. Assim, você preserva seu sorriso mais limpo e saudável.

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários

Deixe seu comentário