Especialidades

A palavra exodontia pode causar estranheza nas pessoas, mas o que muitos não sabem é que este é um procedimento muito comum no meio odontológico e que provavelmente você já tenha até sido submetido a ele.

Neste texto vamos falar sobre o que é a exodontia, os tipos que existem, as contra indicações deste procedimento e os cuidados que se deve ter após realizá-lo.

o que é exodontia

O que é a exodontia?

A exodontia nada mais é do que o processo de extração de dente. Apesar de ser uma palavra pouco comum, o procedimento em si é muito popular e necessário para a maioria das pessoas. Ele é realizado por meio de uma pequena cirurgia no dente.

A necessidade em se realizar a exodontia surge a partir do momento em que os problemas dentários começam a aparecer. Ela também pode ser necessária nas crianças em que os dentes de leite não conseguem cair sozinhos.

Pode ser feita em qualquer um dos dentes, incisivo, canino, pré-molar ou molar. Mas é mais comum nos dentes sisos, ou terceiro molar, devido aos problemas que esses dentes normalmente causam quanto ao nascimento.

Ela pode envolver apenas um dente, na verdade na maioria dos casos é o que acontece. Mas a extração de dois ou mais dentes também pode ocorrer sem maiores problemas, claro que com a avaliação prévia do dentista se pode ou não haver a exodontia múltipla em seu caso.

A extração do dente pode ser necessária para se manter a saúde oral, pois ela é responsável por acabar com os problemas causados por algum dente. Outro motivo muito comum que pode levar a exodontia, é para tratar a cárie que está em um estágio em que nenhum outro procedimento é possível.

Algumas outras causas podem levar a necessidade de realizar a exodontia, como:

  • Dente do siso, incluso ou semi-incluso.
  • Dentes com mobilidade muito acentuada, normalmente consequência de periodontite avançada.
  • Dente fraturado.
  • Dente desvitalizado ou com necrose pulpar e que outros tratamentos não conseguiram curar.
  • Dentes com mobilidade.

Tipos de exodontia

Existem vários tipos de exodontia, cada uma de acordo com o dente e a necessidade do procedimento de extração. Vamos falar um pouco sobre os tipos de exodontia.

Exodontia de raiz

Como o próprio nome sugere, esse tipo de exodontia é realizado para remover resquícios das raízes. E eles podem estar presos na gengiva ou no tecido ósseo.

Exodontia simples

Esse é o tipo mais simples e comum que existe. Aqui o procedimento é feito nos dentes normais, que tenham sido comprometidos de alguma forma, na maioria dos casos devido ao agravamento de cáries.

Ele também pode ser feito para remover dentes de leite que não caíram naturalmente.

Exodontia de dente incluso, semi-incluso ou impactado

Este processo acontece nos casos em que o dente apresenta alguma dificuldade em nascer. Desta forma o dente é extraído não gera nenhum problema na arcada dentária e nem prejudica o funcionamento da boca.

Mas nem sempre a necessidade de se realizar a exodontia está ligada a algum problema, algumas vezes mesmo os dentes estando saudáveis, pode ser necessário que haja a extração, como para se promover o alinhamento dentário, quando falta espaço na arcada dentária.

Existem ainda as situações em que o número de dentes é maior que o normal, dentes excedentários, onde a exodontia se faz necessária. No entanto mesmo nestes casos o procedimento de extração só é necessário se esse excesso causa problemas estéticos ou de oclusão

Quando a exodontia é contraindicada?

O procedimento pode ser contraindicado em alguns casos, e é preciso estar atento se você se enquadra em algum deles. Mesmo que estes apresentem problemas de inflamação ou estejam infecionados.

Pois a extração é um procedimento cirúrgico, e qualquer procedimento deste tipo oferece riscos para a saúde, como no caso de grávidas, em que o procedimento pode prejudicar a saúde do feto. Ele é indicado somente após os três primeiros meses de gestação.

Outras contraindicações que existem são:

  • Pacientes estão em tratamentos de radioterapia ou quimioterapia ou que os tenham terminado há menos de meio ano.
  • Pessoas diabéticas não compensadas.
  • Pessoas imunocomprometidas.
  • Pessoas com doenças hemorrágicas sem prévio controlo.
  • Pessoas com leucemia e anemias graves.
  • Certas doenças, como a sífilis e a tuberculose, por exemplo, quando não são devidamente controladas.
  • Outra situação onde a extração não deve ocorrer, é o caso dos dentes com abscesso, procedendo-se normalmente à prescrição prévia de antibióticos para controle da infecção.

Mulheres menstruadas, durante o período menstrual podem extrair os dentes normalmente, pois, a menstruação não constitui qualquer contraindicação.

exodontia dentária

Cuidados para quem realiza a exodontia

Por se tratar de um procedimento cirúrgico é necessário que se tenha alguns cuidados quanto à exodontia. Separamos aqui alguns deles.

Tenha uma alimentação saudável

A alimentação é muito importante quando se trata de manter a saúde de nosso corpo, e principalmente após se submeter a um processo cirúrgico que deixa nossa imunidade e defesa do organismo mais fraca.

Além da saúde que precisa estar em dia, existem também alimentos que não devem ser ingeridos após a exodontia, alimentos que podem machucar a boca e atrapalhar no processo de recuperação. 

Por isso, converse com seu dentista e prepare uma dieta correta com os alimentos certos.

Tenha uma alimentação saudável e balanceada, desta forma seu processo de recuperação será mais fácil e menos doloroso. Aposte em sorvetes e alimentos gelados para diminuir as dores da extração.

Evite atividades que exijam esforço físico

O repouso é muito importante após a extração de qualquer dente, pois atividades que envolvem esforço físico podem causar sangramentos, dores e outras complicações. 

Por isso, após o procedimento fique deitado, com a cabeça mais elevada que o resto do corpo, ao menos, nas primeiras 24 horas e evite se expor ao sol.

Realize uma boa higienização

Após o procedimento cirúrgico, realizar a limpeza da boca pode ser bem doloroso, mas você não deve deixar de cumprir sua rotina de higiene. Isso porque nesta fase as chances de haver uma proliferação de bactérias são grandes.

Realize a escovação sendo cuidadoso e higienizando todas as áreas da boca, não use produtos que possam machucar a boca.

Faça compressas com gelo

O inchaço é algo quase que unânime após a extração dentária, mas que não precisa gerar nenhum tipo de preocupação. No entanto pode causar incômodo, por isso fazer compressas de gelo para aplicar na região afetada a cada 20 ou 30 minutos pode ajudar a diminuir o inchaço

O inchaço não deve durar muito tempo, por isso as compressas serão necessárias somente após a cirurgia. E fique tranquilo, que aos poucos, tudo vai voltar ao normal.

Tome corretamente as medicações prescritas

Após a extração o dentista irá prescrever a medicação para ajudar na recuperação e a diminuir as dores causadas pelo procedimento. Siga todas as orientações à risca, mesmo se estiver se sentindo bem, e nunca faça a automedicação.

Deixe de lado o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas

Estes hábitos não são muito saudáveis em qualquer momento da vida, ainda mais quando existe uma ferida aberta na boca. As substâncias nocivas do cigarro e das bebidas alcoólicas podem atrapalhar a sua recuperação.

No caso de fumantes, o aconselhado é suspender o uso pelo menos na primeira semana após a cirurgia e o consumo da bebida alcoólica deve ser evitada pelo tempo da medicação, para que não ocorra interações perigosas e efeitos colaterais.

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário