Doenças

O papilomavírus humano pode acometer diversas áreas em nosso organismo, inclusive a boca, causando feridas em diversas áreas.

Neste artigo, você saberá mais detalhes do que acontece quando o paciente é acometido pelo HPV na boca e quais as formas de tratar essa anomalia:

O que é HPV na boca?

É uma infecção viral causada pela presença do papilomavírus humano na mucosa bucal, que pode acometer tanto homens quanto mulheres, através do contato com lesões genitais causadas pelo HPV durante o sexo oral sem proteção com um portador de HPV, onde surgem lesões como aftas ou verrugas pequenas esbranquiçadas, além de feridas brancas ou avermelhadas.

Essas lesões acontecem, com mais frequência, a borda lateral da língua, os lábios e o palato, mas pode acometer qualquer região oral, assim como a garganta e a base lingual.

Essa condição pode aumentar os riscos que quem possui desenvolver câncer bucal, no pescoço ou na faringe. Por isso, se presente os sintomas um médico deve ser consultado para o diagnóstico mais precoce possível e profilaxia do câncer.

Banner "conheça os planos dentalvidas"

Quais os sintomas de HPV na boca?

Os sintomas de HPV na boca são lesões semelhantes a aftas ou verrugas pequenas esbranquiçadas, além de feridas brancas ou avermelhadas. Essas lesões podem aparecer tanto dentro da boca como fora, nos lábios e outras áreas.

Algumas vezes a presença do HPV é assintomática e só pode ser identificada com o uso de lupas. Além disso, o paciente pode apresentar dores no ouvido, tosse, inchaços e/ou ínguas no pescoço e dificuldades para deglutir alimentos.

A maior parte dos infectados descobre a presença do HPV na boca quando a condição já se agravou, desenvolvendo sintomas adicionais como perda de peso sem motivo, inchaços e/ou dores na mandíbula e caroços no pescoço.

Como é realizado o diagnóstico do HPV na boca?

O médico irá avaliar os sintomas, históricos de saúde e observar a presença de possíveis lesões na boca ou na garganta, especialmente lesões características do HPV, através de exames ou de tratamentos odontológicos de rotina.

Para confirmar a análise deverá ser realizada uma biópsia, onde o tecido coletado será encaminhado para análise laboratorial. Caso seja confirmada a presença do vírus, é necessário saber o tipo e se a lesão é maligna ou benigna.

Uma foto de uma boca com lesão causada por HPV na boca.

Como tratar HPV na boca?

Para realizar o tratamento, será necessário realizar o diagnóstico, que definirá se o tratamento será clínico ou cirúrgico. Caso o tratamento seja clínico, o dentista poderá utilizar agentes cáusticos para destruir os tecidos infectados. Em caso de tratamento cirúrgico será realizada uma excisão elétrica ou a laser para eliminar o tecido infectado.

Atenção: nunca se automedique ou tente tratar a infecção por conta própria! Em caso de suspeitas, consulte um infectologista e seu dentista, eles irão indicar o tratamento ideal para a sua condição.

O HPV na boca é contagioso?

Sim, a infecção do papilomavírus na boca pode ser transmitida através de autoinoculação, prática de sexo oral desprotegido, beijo e outros contatos com a região infectada.

Quais os fatores de risco do HPV na boca?

  •       Sexo desprotegido com mais de um parceiro;
  •       Infecções sexualmente transmissíveis;
  •       Tabagismo;
  •       Alcoolismo.

Um dentista realizando tratamentos em paciente com HPV na boca.

Quais as formas de se prevenir a infecção de HPV na boca?

  •       Se proteja durante as relações sexuais;
  •       Vacine-se e realize testes de IST’s anualmente;
  •       Evite beijar ou se relacionar sexualmente com pessoas desconhecidas;
  •       Mantenha a higiene bucal em dia, utilizando diariamente escova de dente, creme dental, enxaguante bucal e fio dental.
  •       Visite o seu dentista regularmente.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são essenciais para evitar doenças como o HPV na boca, uma vez que é pelas visitas ao consultório que o paciente tem acesso aos tratamentos como a profilaxia (limpeza profissional) e tratamentos precoces de doenças.

É por essa periodicidade que o dentista consegue avaliar a condição dos dentes e anormalidades, percebendo e tratando problemas em sua fase inicial. Além disso, pelas avaliações são passadas orientações para com a adesão de bons hábitos da higiene e alimentação.

O indicado é que a frequência mantida ao consultório odontológico seja de ao menos 2 vezes ao ano (uma vez por semestre) para que os benefícios sejam mantidos.

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família!

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

Banner "conheça os planos dentalvidas"

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário

Qual o melhor remédio para dor de dente? SAIBA AQUI Quais são os tipos de lesão bucal? DESCUBRA AQUI Cores de aparelho que não desbota? Veja aqui quais são! Qual o melhor remédio para mau hálito? Confira a lista Invisalign: descubra quais são as vantagens do aparelho Como ter os dentes perfeitos dos sonhos? CONFIRA Descubra os tipos de piercing na boca e como cuidar Conheça as causas por trás do DENTE TORTO
Qual o melhor remédio para dor de dente? SAIBA AQUI Quais são os tipos de lesão bucal? DESCUBRA AQUI Cores de aparelho que não desbota? Veja aqui quais são! Qual o melhor remédio para mau hálito? Confira a lista Invisalign: descubra quais são as vantagens do aparelho Como ter os dentes perfeitos dos sonhos? CONFIRA Descubra os tipos de piercing na boca e como cuidar Conheça as causas por trás do DENTE TORTO