Saúde Bucal

Lesão bucal se remete a manchas, ferimentos, e inchaços que comprometem a zona bucal e a saúde da boca. Na maioria das vezes, esses problemas são confundidos entre si por meio de seus sintomas similares.

Logo, é relevante saber quais são os mais comuns para identificar e recorrer ao dentista mais rapidamente.

Veja aqui quais são as feridas mais comuns e suas formas de tratamento:

O que é uma lesão bucal?

Como dito, uma lesão bucal se remete ao aparecimento de feridas e alterações na boca, seja na língua, nos lábios ou no tecido gengival. Dentre os sintomas estão fortes dores, sangramento, vermelhidão e inchaço.

Entre os tipos de lesões, a mais conhecida, e também a mais comum, é a afta, que tem como causa incidentes como mordidas, o consumo de alimentos em excesso e pode ser até mesmo uma das consequências da gastrite.

Nesse sentido, a herpes; gengivoestomatite herpética primária, e o sapinho; candidíase, atingem mais bebês e crianças, sendo que as demais lesões também costumam estar ligadas a determinados perfis.

Em suma, o tratamento ideal dessas lesões possuem abordagens diversas, como o uso de pomadas específicas, a realização de uma raspagem, indo até o uso de comprimidos prescritos.

A higienização adequada, por sua vez, assim como as visitas periódicas ao dentista, estão entre a ação preventiva desses procedimentos. As visitas regulares ao dentista, além da avaliação geral e diagnóstico precoce são responsáveis pela manutenção devida de procedimentos como a prótese dentária, evitando outros tipos de lesões como a estomatite protética e a hiperplasia fibrosa inflamatória.

Quais são os tipos de lesão bucal?

Há diversos tipos de lesões bucais que comprometem a estética e a saúde da boca. Conheça alguns exemplos:

Aftas

afta

As aftas, também chamadas de estomatite aftosa recorrente – EAR, são caracterizadas por feridas esbranquiçadas na zona bucal. Costumam ser bastante dolorosas e podem causar um mal estar por certo período de tempo.

Os sintomas perceptíveis pelo aparecimento da estomatite aftosa é a ferida branca com borda avermelhada, que na maioria dos casos ocorre na língua e nas demais mucosas da boca.

Suas causas estão ligadas a traumas no local, a ingestão de alimentos cítricos, estresse e emocional abalado, falta de vitaminas do complexo B e ferro no organismo, caso de algum distúrbio gastrointestinal, e hereditariedade.

Por fim, o tratamento das aftas está relacionado a abordagens caseiras e o contato com um estomatologista. Em casa, visando amenizar a dor, o indivíduo pode bochechar com água morna e bicarbonato de sódio regularmente durante o dia. No entanto, isso não deve ser constante.

Se a situação for frequente, a procura por um estomatologista deve ser feita para que medidas mais precisas quanto às particularidades do caso sejam definidas. As mais recorrentes são a higiene bucal abrangente da zona bucal e uma alimentação equilibrada. Aftas costumam durar até duas semanas e sumir gradualmente.

Lesões do câncer bucal

As lesões bucais vindas do câncer de boca geralmente são identificadas por serem lesões que não desaparecem com o tempo, sinalizando que algo não está certo no organismo.

Nesse contexto, as úlceras também podem sinalizar um câncer bucal que, mesmo que não seja tão frequente quanto, atinge milhares de pessoas anualmente.

Quanto aos sintomas do câncer bucal estão úlceras indolores que não somem, feridas em formato de arredondado, o aparecimento de nódulos e caroços seja na língua ou na boca.

Herpes labial

herpes labial

Já se tratando da herpes labial, é uma virose transmissível, que aparece nos lábios da boca, na língua ou nas gengivas. O primeiro sinal do vírus HSV tipo 1 é justamente um ferimento avermelhado em algum desses locais.

Entre os sinais da herpes labial pode-se citar bolhas e feridas de dores intensas na boca, além de náuseas, vômitos, febre, dores de cabeça e na garganta. A contaminação é feita pela saliva ou contato com essas lesões, que pode demorar a surgir após a infecção.

Tendo isso em vista, isso se deve ao fato de o vírus do herpes se ocultar em meio as células nervosas, se reanimando de tempo em tempo, em períodos em que a imunidade se encontra baixa. Esses momentos geralmente são caracterizados pela erupção das bolhas.

A herpes é uma doença viral que não possui cura, contudo, suas lesões podem ser controladas por meio de cuidados rotineiros como, uso de protetor solar próprio na pele e lábios, evitar momentos estressantes, manter a boa qualidade do sono, manter uma alimentação equilibrada, lavar bem as mãos, especialmente após tocar nas feridas, e evitar beijos e relações sexuais nos surtos da doença.

Medicação e suplementação, além de alimentos com aminoácido lisina, que previne os surtos, podem estar entre as recomendações do médico para conter as feridas.

Candidíase bucal ou oral

Candidíase bucal ou oral

A candidíase é decorrente do fungo Candida albicans, que ao se acumular na cobertura da boca leva a lesões brancas que são comuns na língua ou nas paredes das bochechas. As lesões também podem se alastrar para a gengiva, céu da boca, gengiva, e até mesmo amígdalas. As feridas dolorosas podem sangrar com o toque.

Costuma atingir pessoas com sistema imunológico debilitado, usuários de próteses dentárias, de corticóides inalatórios e até mesmo bebês. Nas crianças é comumente chamada de sapinho.

Logo, entre as suas possíveis motivações está o uso prolongado de corticóides, imunossupressores e antibióticos.

Entre seus sintomas característicos estão a perda do paladar, sensação de algodão dentro da boca, dor e presença de sangramentos. Ardência e debilidade ao engolir também são os sinais perceptíveis.

Seu tratamento pode ser feito através de medicamentos com ação antifúngica para os bebês, alterações quanto à alimentação, adesão de uma melhor higiene bucal e bochechos com água e sal.

Doença mão-pé-boca (HFMD)

Por fim, há as lesões da doença mão-pé-boca, que são bastantes comuns em crianças. Seus sintomas mais comuns incluem lesões vermelhas bastante doloridas no interior das bochechas e da língua, além de manchas avermelhadas nas mãos e nos pés, febre, dor na garganta e mal-estar. Esses sinais surgem de três a seis dias após a infecção pelo vírus.

A HFMD não possui tratamento, e a infecção costuma durar de sete a dez dias. Para amenizar a dor das lesões, um anestésico oral tópico pode ser a solução, assim como analgésicos podem aliviar o mal-estar.

doença mão pé boca

Higiene bucal adequada

A ação preventiva dessas doenças é bem diversa, entretanto, manter a boca saudável é extremamente importante no combate de qualquer tipo de problema bucal.

Deve-se ter em vista que os cuidados diários quanto à higiene bucal não se limitam apenas às técnicas adequadas de escovação. O uso do fio dental e do enxaguante bucal são igualmente importantes e devem fazer parte da rotina.

A escovação deve ser feita ao menos duas vezes por dia, e deve estar sempre acompanhada de um creme dental com flúor. A passagem do fio dental deve ser precisa e regular e o bochecho com antisséptico deve durar cerca de 30 segundos para surtir efeito.

É somente tomando esses cuidados que se evita os problemas causados pelas evoluções da placa bacteriana, como o tártaro, as cáries, as doenças gengivais e a halitose.

Visitas regulares a clínica odontológica

Tal como a higiene bucal devida, as visitas periódicas ao dentista fazem parte da prevenção de danos à saúde bucal. É por meio dessas visitas que se é feita a avaliação geral da zona bucal, assim como o diagnóstico precoce do problema, se for o caso.

Desse modo, diante da detecção de alguns dos sintomas citados, consulte sempre um profissional odontologista de confiança, já que é ele que irá analisar as lesões e o encaminhar para o tratamento/especialista relacionado.

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

Tags :
               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário