Saúde Bucal

A mancha branca no dente é um problema bem comum, mas poucos sabem reconhecer a sua causa.

Por não possuir tanta interferência estética, a mancha também é comumente ignorada, o que pode trazer uma série de problemas à saúde bucal.

Veja aqui o que essa “manchinha” pode ser e qual a maneira correta de tratar:

O que é a mancha branca no dente?

O aparecimento de uma mancha branca no dente pode indicar uma série de problemas à saúde bucal.

Mesmo que essa manchinha pareça inofensiva, é importante que assim que percebida, o dentista seja consultado. É apenas por meio de um exame clínico que é possível detectar a causa principal do problema.

Normalmente a alteração na dor está associada a anomalias que afetam inicialmente o esmalte dentário, tecido mais mineralizado do corpo rico em cobre e zinco.

É importante considerar que essas alterações por reações na boca ou no organismo, são possíveis mesmo em dentes totalmente formados, considerando que os dentes estão sempre à mercê de substâncias e microrganismos.

causas da mancha branca no dente

Quais são as principais causas da mancha branca no dente?

O aparecimento da mancha branca no dente está diretamente ligada a algum processo que compromete a formação da estrutura dentária e as reações químicas da mineração. Além disso, o surgimento dessa anomalia pode estar relacionado a alguma debilidade do organismo.

Veja quais são as principais causas por trás da mancha branca no dente:

Cárie dentária

A principal suspeita do dentista ao primeiro sinal de um borrão branco no dente geralmente é o início da formação da cárie no dente. A fase inicial desse problema bucal comum é justamente o aparecimento desse sintoma e é a partir dele que as bactérias conseguem perfurar os dentes.

Nesse contexto, as manchinhas se tratam da desmineralização do esmalte e da formação da placa bacteriana calcificada (tártaro), que podem possuir tanto uma coloração esbranquiçada ou amarelada, superfície opaca e já contar com pequenos buracos. Na maioria das vezes estão localizadas perto da linha da gengiva, já que é um local suscetível ao acúmulo de alimentos.

No início, é possível que o paciente não sinta incômodo algum, mas com o passar do tempo e com o avanço das cavidades na estrutura dentária, a cárie atinge as estruturas mais sensíveis do dente, tal como dentina e polpa, há a percepção de fortes dores, sensibilidade e halitose (mau hálito).

Fluorose

A fluorose também é uma causa comum se tratando das manchinhas brancas no dente. Assim como o próprio nome indica, possui relação com o alto consumo de produtos, recursos e de alimentos com flúor, que acabam por danificar o dente.

Seja por alimentos, água e produtos de higiene bucal fluoretados, é pelo consumo excessivo desse mineral que há sua concentração exagerada no organismo e na dentição.

A fluorose dental se baseia em alterações químicas principalmente na fase de composição do esmalte dentário na infância. Mesmo que o flúor seja importante para a construção do esmalte e para a limpeza dos dentes, o seu uso deve ser feito de forma moderada.

Hipoplasia do esmalte dentário

Hipoplasia do esmalte dentário se trata de uma doença que leva a má formação ou perda do tecido.

Essa doença pode ser sistêmica ou hereditária, ou causada por incidentes como cáries em dentes primários, traumas, bruxismo, hábitos parafuncionais, escovação com muita força, ingestão exagerada de bebidas alcoólicas, deficiência de vitaminas e o uso de certos medicamentos.

A hipoplasia pode levar não só ao aparecimento de borrões brancos, mas também a outros tipos de alteração de cor e até mesmo a irregularidades na estrutura do dente.

Uma vez identificada, alguns sintomas são perceptíveis como sensibilidade, o aparecimento de cáries, fraturas, manchas esbranquiçadas ou escuras.

Assim como as demais causas por trás das alterações de cor na arcada dentária, a hipoplasia do esmalte deve ser tratada o quanto antes, evitando mais complicações pelo desgaste do esmalte.

Acidez bucal

O Ph muito ácido da boca pode resultar no aparecimento dessas anomalias. Esse estado está diretamente associado a uma alimentação rica em alimentos ácidos, a doenças como refluxo gastroesofágico e a insuficiência de produção de saliva.

Dessa forma, o excesso de acidez na zona bucal leva a desmineralização do dente e assim ao aparecimento de manchas na boca. Em casos mais avançados, essa condição pode levar ao processo de erosão do dente, resultando em cavidades nos dentes.

Amelogênese Imperfeita (AI)

Por fim, as manchas brancas no dente podem ser resultantes de uma condição clínica e genética chamada de amelogênese imperfeita. Essa complicação atua diretamente no esmalte dentário, uma vez que leva a alterações nos tecidos não só dentais, mas também orais e extra-orais.

Essa condição faz com que os dentes nasçam sem a camada protetora, deixando os dentes suscetíveis a uma série de outras complicações, como a cárie dentária e sensibilidade dentária.

Entre os demais sintomas também pode-se citar imperfeições nas proteínas e minerais que compõem as estruturas dentais e as manchas brancas.

Vale ressaltar que a amelogênese imperfeita pode afetar tanto os dentes primários quanto os permanentes. Sua causa mais comum é hereditária por mutações de genes. Por fim, a amelogênese imperfeita pode assumir vários graus, devendo ser tratada para evitar danos à estética e à saúde do sorriso.

Afinal, como tratar a mancha branca no dente?

A mancha branca no dente pode sim ser reversível, mas somente pode ser tratada devidamente em consultório odontológico. É somente por tratamentos específicos que é possível diminuir e desaparecer com as manchas.

Primeiramente, o dentista irá fazer o diagnóstico do problema e de sua causa principal por uma observação clínica, determinando assim qual a melhor abordagem para o caso.

Dependendo da causa, o tratamento pode envolver mudanças na higiene bucal, na alimentação, a suplementação nutricional e produtos de remineralização do dente.

Veja quais são as principais formas de tratamento da mancha branca em consultório:

Microabrasão

O procedimento de microabrasão é a indicação para os casos mais leves de manchas brancas. É pouco invasivo e sua abordagem não envolve o desgaste excessivo do dente.

O procedimento realiza um breve desgaste dos dentes, removendo assim as manchas sem precisar danificar as estruturas dentárias. Para isso, a microabrasão envolve a erosão química e mecânica por ácidos abrasivos.

Há a degradação do esmalte dentário, mas ela não chega a ser considerável. Para que o procedimento seja feito é necessário que a dentista seja protegida e logo após a sua execução a aplicação de flúor para evitar a porosidade do tecido e que haja a sua proteção.

A satisfação com esse procedimento é ainda maior quando ele está associado ao procedimento de clareamento dental.

Clareamento dental dente branco

Clareamento dental

Em casos um pouco mais graves, o paciente pode ser encaminhado diretamente ao clareamento dental, ou após o processo de microabrasão.

Aqui se busca harmonizar a coloração de dentição por uma ação com géis clareadores. Dessa forma, a remoção da mancha será feita por agentes químicos.

O paciente também pode ser beneficiado por uma melhor estética da dentição, com um sorriso de aparência mais limpa e mais saudável, e assim pela melhora da autoestima.

A tonalidade almejada é estudada no consultório odontológico.

Facetas dentárias

As facetas dentárias são indicadas em último caso, em que as manchas dos dentes se encontram bem visíveis e comprometem fortemente a estética da dentição.

Existem alguns modelos, como por exemplo, faceta de porcelana. Que se trata de películas artificiais que possuem estrutura similar a superfície do dente e nesse caso atuariam como uma cobertura ao problema. Para que seja possível a sua aplicação, o dente deve ser desgastado.

Essa técnica seria uma abordagem mais invasiva que é capaz de reparar, além da cor, o tamanho, a forma e o comprimento dos dentes.

Visitas regulares ao dentista

É pelas visitas regulares ao dentista que se é possível evitar e tratar as manchas brancas em sua fase inicial.

Assim sendo, feitas as visitas periódicas ao consultório odontológico, o dentista consegue avaliar e dá orientações quanto a adesão de bons hábitos.

Também é mantendo a periodicidade necessária que o paciente consiga manter os benefícios dos procedimentos regulares, como a profilaxia (limpeza profissional), que deve ser feita ao menos 2 vezes ao ano (de 6 em 6 meses).

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário