Saúde Bucal

Você conhece o nome dos dentes? Os dentes são estruturas essenciais para a saúde bucal e para a realização de funções vitais como a fala, respiração e mastigação. 

Conheça aqui quais são os nomes dos dentes, sua importância e funções:

Como é composta a arcada dentária?

Os dentes são estruturas duras, brancas e proeminentes que estão por trás de uma das principais ações do organismo, a alimentação. Os dentes são compostos de 4 camadas, o esmalte, dentina, a polpa dentária e cimento.

É pelos dentes que somos capazes de cortar e triturar alimentos, facilitando a deglutição e a digestão.

Além do funcional, os dentes são conhecidos por serem o nosso cartão de visitas, tendo um papel importante na autoestima e confiança. São os dentes que estão por trás de um sorriso bonito e saudável.

Logo, é importante que os dentes estejam em bom estado para que as funções sejam feitas com eficiência e o impacto estético seja positivo.

O ser humano possui dois conjuntos de dentes ao longo da vida, são eles os dentes primários (dentição decídua), que é composta por 20 dentes (10 superiores e 10 inferiores), e os dentes permanentes, compostos por 32 dentes (16 superiores e 16 inferiores).

Os primeiros dentes começam a ser formados por volta dos 6 e 9 meses da criança, possuindo uma dentição primária completa por volta dos 5 anos de idade. A partir dos 6 anos, os dentes decíduos começam a cair para dá lugar aos permanentes, formando um grupo completo pelos 18 e 21 anos de idade.

Nome dos dentes

Qual o nome dos dentes?

Levando em conta que são os dentes os componentes da arcada dentária, saber identificá-los quanto as suas classificações e funções principais. Dessa forma, os dentes são divididos em 4 tipos: Incisivos, caninos, pré-molares e molares.

Incisivos

Ao todo, a arcada dentária é composta por 8 dentes incisivos ou anteriores, sendo 4 no arco superior e 4 no arco inferior. Estão localizados no centro da arcada dentária e possuem como função principal o corte e trituração dos alimentos, facilitando a a sua ingestão e deglutição.

São identificados por serem dentes retos, finos e afiados em forma de cinzel. Além da função mastigatória, os dentes incisivos também são importantes dentes de suporte ao lábios, além de conduzir os demais dentes para o seu lugar correto na dentição diante da junção da mandíbula e maxila, parte inferior e superior do maxilar respectivamente.

Dentes caninos

Quanto aos dentes caninos, são 4 ao total, dois em cima e dois embaixo. Podem ser identificados como sendo os dentes localizados ao lado dos dentes incisivos e por serem muito similares a presas.

Possuem pontas pontiagudas e são comumente chamados de cúspides ou garras. Por serem os mais longos de todos os dentes, são comumente utilizados para rasgar os alimentos.

Normalmente, crianças tendem a receberem os seus primeiros caninos permanentes entre os 9 e 12 anos. Os caninos inferiores podem ultrapassar um pouco os superiores. 

Pré-molares

Assim como os incisivos, os pré-molares são 8 na arcada dentária, 4 na linha da mandíbula e 4 na linha da maxila. Ao contrário das demais classificações, os dentes pré-molares não estão presentes na dentição decídua, nascendo como parte da permanente por volta dos 10 e 12 anos de idade.

São caracterizados por suas duas cristas (cúspides) e topo achatado, possuindo assim como função principal o seu auxílio a mastigação, ajudando a triturar e moer os alimentos. Também são responsáveis por manterem a altura do rosto.

Estão localizados ao lado dos caninos na arcada dentária.

Dentes molares

Os dentes molares são os principais componentes da dentição, compondo 12 dentes ao  todo, 6 na maxila e 6 na mandíbula. A dentição primária, por sua vez, é composta por 8 molares, 4 em cada extremidade. São caracterizados por suas cúspides múltiplas de sua superfície de mordida, que é extensa e plana. São os maiores dentes da dentição.

Os dentes molares começam a nascer por volta dos 12 e 18 meses da criança. No entanto, os últimos dentes molares a nascer aparecem por volta dos 17 a 21, os dentes sisos ou terceiros molares. Estão localizados nas extremidades dos arcos da mordida, sendo um em cada lado e 4 ao total.

Os dentes sisos são famosos pelo dilema que os envolvem, já que podem não nascer e atrapalharem o posicionamento dos demais dentes após o seu nascimento, havendo necessidade de extração. Contudo, deve-se considerar a particularidade de cada caso e a percepção do desenvolvimento do dente pelo dentista. 

Dessa forma, a extração do dente só será necessária caso o siso ficar preso sob a gengiva e não ser capaz de se sobressair a linha da gengiva sem causar problemas de alinhamento na arcada dentária. 

Além disso, casos em que o terceiro molar esteja crescendo em posição errada, havendo risco de infecção (pericoronarite) podem necessitar de uma intervenção pelo dentista, seja a remoção da gengiva ou do dente.

Os terceiros molares não possuem uma função decisiva para a mastigação ou fala, não comprometendo as funções vitais, além de facilitar a higiene bucal. Uma vez que se encontra afastado na arcada dentária, acaba por está mais suscetível a problemas bucais, como cáries e gengivite, o que não é interessante.

visita ao dentista

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são essenciais para a manutenção da saúde bucal. É somente pelas visitas periódicas ao consultório odontológico que procedimentos preventivos como a profilaxia (limpeza profissional) podem ser realizados.

Além disso, é por essas sessões que o odontologista é capaz de avaliar o desempenho da higiene bucal e dá orientações de uma higienização eficiente e completa. Aqui é importante que o dentista indique desde a melhor escova, creme dental, fio dental e enxaguante bucal para deixar os dentes perfeitos.

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário