Saúde Bucal

Obturação dentária se trata do tratamento indicado para restabelecer o bom funcionamento e a boa aparência da dentição que foi prejudicada por cáries.

Em suma, é o procedimento que os dentes desgastados e quebradiços passam para recuperar a sua estética natural.

Veja aqui tudo o que você precisa saber antes de se submeter a uma obturação. 

O que é obturação?

É a solução do famigerado “dente podre” e daqueles que sofreram algum tipo de trauma. Comumente retratada como “restauração de dente”, tem como característica principal a reparo ou a remodelagem da estrutura dentária que foi danificada.

Nesse contexto, com a remoção da cárie se evita com que ela evolua e prejudique ainda mais a saúde bucal e a arcada dentária. Logo, os danos barrados pela obturação vão além dos defeitos estéticos, mas também debilidades funcionais e anatômicas.

Se evita também que o dente atingido tenha de ser extraído (exodontia) e substituído por uma coroa dentária, uma vez que se evita que a raiz e as demais estruturas que sustentam o dente sejam atingidas e assim, a sua perda.

quando se indica a obturação no dente
Deve-se consultar com um dentista assim que os sintomas da cárie começarem.

Quando se indica a obturação no dente?

Uma vez que a principal causa do procedimento por obturação é o reparo dos estragos da cárie, as motivações que recorrem o paciente a esse quadro incluem: má higiene bucal, proliferação de bactérias e a falta de acompanhamento odontológico.

O paciente geralmente recorre ao consultório odontológico pela incidência de dores intensas e do forte incômodo decorrentes das perfurações, que também se mostram visíveis.

Ao realizar uma avaliação geral, na perda dos tecidos duros da estrutura dentária, o dentista encaminha o paciente a uma restauração e a sua abordagem ideal.

Ademais, a realização desse procedimento é feita em consultório odontológico sob anestesia local e com a utilização do obturador, material que dá origem a seu nome popular. O uso do obturador, por sua vez, é para evitar com que se comprometa a sustentação do dente.

Também se indica esse procedimento como parte do tratamento do bruxismo e suas complicações, além de dentes com graves perfurações e rachaduras.

Como é a realização desse tratamento?

Antes de tudo, o odontologista irá avaliar a zona bucal do paciente, detectando sinais como as próprias cáries, sensibilidade, dor, e assim o grau de gravidade do problema. Alguns casos podem exigir que um raio-x (RX periapical ou ortopantomografia) seja feito para averiguar se nervos estão danificados ou algum outro dente da arcada. 

Em seguida, se define a obturação como a melhor indicação. Na execução do procedimento, pode se utilizar materiais como a amálgama de prata, resina, porcelana, metal e ionômero de vidro para cobrir a cavidade.

Assim sendo, a obturação é uma das últimas fases para o tratamento definitivo da cárie, isso justifica a anestesia. Quando o dentista remove o tecido cariado com a ajuda de brocas, utiliza o obturador para cobrir o local e prevenir que microrganismos ajam novamente.

A realização de uma obturação é padrão, seguindo os mesmos passos tanto para os dentes laterais quanto para os da arcada posterior. No entanto, quando o principal objetivo é a recuperação estética, a coloração do material é uma das principais preocupações.

Ao final do processo, o paciente deve tomar alguns cuidados para que o procedimento seja duradouro.

Tipos de materiais restauradores

Assim como em demais procedimentos odontológicos, a confecção da restauração pode ser feita por uma série de materiais. Dentre os mais populares estão as resinas compostas e a amálgama de prata, que antigamente tinha um maior número de adesões antes dos discursos sobre a sua toxicidade.

A amálgama de prata não colabora tanto com a preocupação estética, já que possui uma cor acinzentada, sendo de uso comum por sua resistência e valor mais baixo. Assim, é bem semelhante às características da restauração metálica.

A abordagem com porcelana ou cerâmica visam um melhor aspecto estético, entretanto, não são as favoritas quanto a fixação. Sua confecção é feita em laboratórios de prótese pelos moldes feitos pelo dentista e cimentadas sobre os dentes naturais, e por isso são mais caras.

As feitas em resina são populares por estarem disponíveis em várias cores, permitindo uma melhor aproximação a coloração dos dentes naturais. Trata-se de um material resistente e de alta qualidade que proporciona uma boa fixação.

Já as restaurações com ionômero de vidro possuem coloração branca e uma boa resistência. Por sua coloração não variante, não se assemelha tanto à natural como às de resina. Logo, tende a amarelar com o tempo e também não se prende tão bem. Dentre as propriedades positivas estão a liberação de flúor e resistência.

qual o valor de uma obturação no dente
O valor da obturação varia quanto o material restaurador.

A obturação dói?

Uma das dúvidas mais frequentes dos pacientes ao serem encaminhados a esse procedimento é se ele causa dor. No entanto, o uso da anestesia local permite que toda a sua realização seja tranquila, causando nenhum tipo de desconforto.

Há casos em que se deixa atém mesmo a anestesia de lado, também não causando dor, e tornando possível sentir apenas uma rápida sensação de sensibilidade durante a remoção da cárie; dependendo da gravidade da situação, do local em que a cárie está, e da limitação de cada indivíduo.

Qual o valor de uma obturação no dente?

O preço de mercado de uma restauração dentária pode variar de acordo com a clínica, assim como a extensão da obturação. É somente por meio da avaliação do profissional dentista que é possível saber qual o orçamento necessário.

Em média, o valor permeia entre R$ 200 a R$ 900.

Obturação caiu, o que fazer?

Quando não se mantem os cuidados com a restauração na rotina, a queda do material restaurador é possível. Diante a essa incidência, o seu dentista deve ser contatado o quanto antes.

Além da falta dos cuidados necessários, a obturação pode cair ou danificar pela ação do tempo, que pode trazer consigo falhas que em seguida virão rachaduras.

Em conclusão, a queda e o prejuízo podem ter sua ação preventiva caso se recorra ao odontologista no primeiro sinal de fragilidade. Uma vez que o acompanhamento odontológico é deixado de lado, o dente que teve a obturação fica desprotegido e à mercê dessas e de outras ocorrências.

Cuidados após a obturação

Depois de passar pela obturação, o odontologista passará algumas informações e orientações para o paciente visando a maior durabilidade e o sucesso do tratamento. Isso considerando a rigidez do obturador e a prevenção de complicações.

Desse modo, é essencial que os bons hábitos não se limitem à saúde bucal, mas engloba também a alimentação. Deve-se evitar alimentos muito frios ou quentes, chicletes e alimentos muito duros, principalmente nos primeiros dias após sua execução.

A mastigação deve ser paciente e precisa, além de que a escovação deve ser feita com cuidado. Deve se também buscar manter a mastigação do lado contrário a obturação, colaborando com a melhor fixação do material da restauração.

Visitas regulares ao dentista

Igualmente importante é são as visitas ao dentista, que devem ser periódicas para que haja o acompanhamento devido do procedimento, e que haja o concerto de falhas, caso ocorra.

Além disso, as visitas regulares ao consultório odontológico são as responsáveis pela boa manutenção da saúde bucal, juntamente a higiene bucal adequada e completa. É por elas que se obtém o diagnóstico dos problemas bucais a tempo.

Contanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Deixe um comentário