Saúde Bucal

A polpa do dente é uma parte da estrutura do dente, assim como o esmalte e a dentina. Além disso, cada uma dessas partes é responsável por uma função diferente.

Desse modo, confira mais informações sobre a polpa do dente aqui:

O que é a polpa do dente?

O dente é uma estrutura que temos em nossa boca que possui um papel fundamental no processo digestivo, assim sendo, é responsável por cortar e triturar os alimentos para facilitar a digestão. Ele é composto por três camadas que são o esmalte, a dentina e a polpa dentária.

O esmalte é a camada mais externa do dente e o tecido mais mineralizado do corpo humano e resistente. Ele é responsável por proteger as camadas internas dos dentes, evitando que elas sejam comprometidas por agentes externos.

Portanto, devido ao fato de ser a camada mais externa do dente, ele também é responsável pela coloração do dente, de modo que as manchas normalmente estão nele.

Essa camada não possui vasos sanguíneos ou nervos, o que significa que ele não é um tecido vivo. Desse modo, ele não sente dor ou diferença de temperatura e não se regenera.

A dentina é a camada logo abaixo do esmalte, ele é um tecido que apresenta uma rigidez menor que o esmalte. Ela é uma camada muito porosa, de maneira que quando ela está exposta, pode acabar contribuindo para a infiltração de microrganismos na polpa do dente.

Quando há uma escassez do esmalte dentário, a camada em torno da dentina fica mais fina, desse modo os alimentos frios e quentes podem acabar causando sensibilidade

A polpa do dente é a parte mais interna do dente, onde ficam contidos os vasos sanguíneos e terminações nervosas do dente. Isso faz com que ela seja considerada a parte mais viva do dente.

A polpa possui a função de nutrir a dentina, regular o fluxo sanguíneo e é responsável pela sensibilidade nos dentes. Ela reage à danos provocando a sensação de dor, desse modo ela é capaz de informar que algo de errado está acontecendo.

O que é a endodontia?

Ela é uma especialização da odontologia destinada a estudar e tratar o interior do dente, o que significa que ela é a área responsável por garantir a saúde da polpa raiz e tecidos que envolvem a raiz.

O profissional responsável por esse ramo da odontologia é o endodontista. Além de cuidar das estruturas internas do dente, ele também é responsável por cuidar de traumas que possam comprometer a saúde do dente.

Essa área é indispensável para uma boa saúde oral, pois além de manter o interior do dente saudável, ela também é responsável por realizar sua retirada quando há o comprometimento total da polpa do dente.

Esse procedimento endodôntico é conhecido como tratamento de canal, também chamado de desvitalização do dente. Esse processo consiste na remoção total da polpa do dente, seguida do selamento da raiz.

Logo após o selamento, preenche-se o dente com uma resina. Como normalmente esse procedimento é realizado quando há alguma infecção na polpa, ele também evita a reincidência.

O que acontece quando estamos com a polpa do dente exposta

O que acontece quando estamos com a polpa do dente exposta?

A exposição da polpa acontece quando há algum dano nas camadas externas do dente. Isso pode acontecer devido a fraturas, cárie ou pela desmineralização do esmalte.

Logo, essa é uma condição que naturalmente não deveria acontecer, pois sua exposição a deixa vulnerável a microrganismos que podem comprometer a saúde da polpa.

Essa exposição pode levar a inflamação da polpa, a chamada pulpite, e em casos onde ela não é tratada pode levar a necessidade do tratamento de canal ou até mesmo a extração do dente.

O que é pulpite?

Ela ocorre quando há a inflamação da polpa dentária, que é a parte no interior do dente composta por vasos sanguíneos e nervos. Essa inflamação pode causar muita dor e provocar a sensibilidade dos dentes.

A polpa do dente pode inflamar por impactos na região da boca, cáries ou devido ao bruxismo. Portanto, independentemente da causa, é importante consultar um dentista para tratá-la do modo correto.

O principal sintoma dessa inflamação é a presença de dor no local, assim como a sensibilidade. Também pode haver inchaço na região da inflamação.

Eles podem aparecer num período de 2 a 14 dias, a chamada pulpite aguda, ou irem aparecer gradativamente quando se trata da pulpite crônica.

Como diferenciar a pulpite aguda da crônica?

É possível diferenciar as duas baseadas no tipo de sintomas apresentados. Na pulpite aguda existe a presença pus derivado da infecção.

Porém, quando se refere a pulpite crônica, a deterioração do dente ocorre de forma lenta e gradual, portanto, ela pode ser classificada em diferentes categorias, que podem ser a:

  • Hiperplásica, quando há o desenvolvimento de um tumor derivado da inflamação;
  • Esclerosante, é a deterioração da polpa do dente, normalmente ocorre em pessoas de idade mais avançada;
  • Ulcerativa, nos casos em que o dente está tão desgastado que a polpa está exposta, o que gera uma ferida que pode sangrar.

A inflamação crônica da polpa do dente costuma ser difícil de se perceber, pois muitas vezes ela não apresenta sintomas. Além disso, geralmente os danos causados à polpa são irreversíveis.

Como tratar a polpa do dente exposta

Como tratar a polpa do dente exposta?

A polpa do dente exposta pode gerar complicações levando a complicações que podem levar a perda do dente e em casos mais graves comprometer o osso de sustentação da arcada dentária.

Normalmente, quando há a inflamação da polpa do dente, o dentista faz uma análise para checar a possibilidade de salvar parte do dente.

Quando a infecção ainda não alcançou a parte da polpa do dente, ele pode ser restaurado com um simples procedimento de restauração.

Caso seja possível, é feito um tratamento de canal para remover a inflamação. Quando a pulpite é mais grave, é necessário a extração do dente comprometido.

Como manter a polpa do dente saudável?

Para garantir a saúde da polpa é necessário cuidar da saúde do dente, ou seja, um dente saudável significa uma polpa saudável.

Portanto, para garantir o bom estado do dente, é recomendado:

  • Criar bons hábitos alimentares, evitando doces e alimentos muito ácidos;
  • Ter uma boa escovação dos dentes;
  • Usar o fio dental de maneira correta;
  • Evitar usar cremes dentais muito abrasivos;
  • Pode-se fazer o uso de enxaguantes bucais para complementar a limpeza;
  • Visitar o dentista regularmente para efetuar a profilaxia.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são essenciais para o diagnóstico do problema e para o acompanhamento da saúde do doente.

Além disso, somente por meio das consultas periódicas ao consultório odontológico que é possível realizar os procedimentos regulares, como a profilaxia (limpeza profissional).

É também por essa frequência que o dentista é capaz de realizar a ação preventiva de problemas bucais, como a cárie, orientando o paciente quanto a bons hábitos.

O indicado é que as visitas ao dentista sejam feitas ao menos 2 vezes ao ano (6 em 6 meses).

Portanto, o plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário