Especialidades

A profilaxia é um dos principais procedimentos de ação preventiva feitos em consultório odontológico.

Conheça esse tratamento, como ele é feito e quais são as suas vantagens para a sua saúde bucal:

O que é profilaxia dental?

A profilaxia dental ou profilaxia dentária é a limpeza profissional feita em consultório odontológico. É por meio desse tratamento que o dentista realiza a remoção de placas bacterianas e de sua forma calcificada (tártaros) da dentição, prevenindo a sua evolução para problemas bucais mais graves, como cáries e gengivite.

Por meio desse procedimento o dentista é capaz de realizar a avaliação do desempenho dos bons hábitos pelo paciente, dando orientações sobre uma higiene bucal eficiente. Isso enquanto ele mesmo realiza a higiene bucal completa por instrumentos próprios, como a pasta de dente profilática e a escova rotativa profissional.

É um procedimento simples e indolor, que atua significamente no fortalecimento dos dentes. A profilaxia deve ser feita ao menos 2 vezes no ano, de 6 em 6 meses.

Como é feita a profilaxia dental?

Considerando que se trata de um processo de higiene bucal em consultório, o passo a passo da profilaxia conta com medidas e ferramentas profissionais e eficientes. Dessa forma, a placa bacteriana é removida com muito mais precisão, deixando o sorriso mais limpo, claro e mais bonito.

Além do benefício estético, por meio desse processo também se realiza a remineralização do esmalte dentário (película externa e rígida dos dentes). Dessa forma, há a prevenção de cáries e demais problemas por meio do uso de produtos fluoretados.

O passo-a-passo da profilaxia consiste em:

1-  Avaliação profissional – antes de tudo o dentista realiza uma avaliação clínica da arcada dentária, identificando problemas bucais e se haverá necessidade de outro procedimento associado.

2-  Ultrassom – Começando a limpeza, o dentista realiza a raspagem dental com Ultrassom, removendo o tártaro e as placas duras.

3-  Jato de bicarbonato –  Pelo jato de bicarbonato e com a ajuda de uma escova rotatória com pasta profilática o profissional faz a limpeza geral dos dentes.

Por fim, com a limpeza profunda das arcadas dentárias, o paciente se vê livre de desconfortos como dentes amarelados e mau hálito (halitose).

Profilaxia antes e depois

Profilaxia antes e depois, quais as vantagens?

São vários os benefícios que a profilaxia tem a proporcionar, já que eliminam a placa bacteriana, que é a fase inicial de uma série de problemas bucais, inflamações e infecções. Desde a cárie, a gengivite e a periodontite, a formação da placa é um fator de risco não só a estética do sorriso, mas também a seu funcional.

Em casos mais graves, o acúmulo do biofilme sem o tratamento adequado pode causar a infecção das estruturas de sustentação do dente, tal como o periodonto, e assim, a perda dentária.

Deve-se ter em vista que o acúmulo de bactérias na boca é capaz de comprometer não só a saúde bucal, mas também a saúde das gengivas. Manter os dentes limpos é o primeiro passo para ter uma saúde bucal em dia.

Ainda, esse procedimento, já que é capaz de remover manchas extrínsecas (da superfície dentária), proporciona um aspecto mais branco ao sorriso.

Portanto, a profilaxia é capaz de eliminar os microorganismos da boca, impedindo que haja a sua proliferação e também a halitose, melhorando a autoestima e os relacionamentos.

Qual a frequência indicada para a realização da profilaxia?

Como dito, o mais indicado é que a profilaxia seja feita ao menos duas vezes ao ano, em um intervalo de seis meses.

No entanto, casos especiais como o de pacientes com doenças crônicas podem requerer um intervalo menor, já que são mais predispostos à formação da placa bacteriana.

A profilaxia dental possui alguma contraindicação?

Considerando que a formação da placa bacteriana não atinge somente adultos, mas também crianças e idosos, qualquer pessoa que possua a arcada dentária formada precisa recorrer periodicamente a profilaxia.

As visitas periódicas ao consultório odontológico, por sua vez, devem começar antes da formação dos primeiros dentes, sendo o odontopediatra o responsável pelo acompanhamento do nascimento dos dentes e as recomendações quanto à higiene adequada.

Pacientes que estão em processo de algum tratamento ortodôntico por aparelho fixo precisam de uma variedade de cuidados, principalmente quanto a higiene bucal. Levando em conta a higienização dificultada, a profilaxia é de grande ajuda para a prevenção do acúmulo de bactérias em meio a estrutura do aparelho.

No entanto, pacientes que estejam passando por um tratamento com aparelho móvel não estão livres desses cuidados, já que a profilaxia também determina um processo tranquilo.

A profilaxia dental dói?

A profilaxia dental não dói. Isso se deve ao fato de que o aparelho de ultrassom não compromete o esmalte dentário ou o tecido gengival, removendo a placa com facilidade, sem precisar de uma abordagem invasiva.

Contudo, pessoas que sofrem de sensibilidade dentária ou gengiva inflamada podem sentir um incômodo, devendo o dentista proporcionar alívio pelo uso de anestesia.

Como manter os benefícios da profilaxia?

Além de uma boa frequência da profilaxia, para com que haja a prevenção desses problemas à saúde bucal e a manutenção da saúde bucal em dia é necessário que alguns cuidados sejam mantidos.

Entre as principais medidas a serem feitas estão:

Boa higiene bucal

Tendo em vista que a profilaxia é justamente a higienização da boca feita pelo dentista, a higiene bucal convencional deve dar conta do recado e ser feita de forma eficiente, completa e regular.

Ao contrário do que muitos pensam, somente a escovação diária não é capaz de realizar a limpeza profunda e bem feita da arcada dentária. Logo, é necessário que ela esteja acompanhada na rotina, pela passagem de fio dental e pelo bochecho com enxaguante bucal.

A escovação deve ser feita com uma escova de cabeça pequena, cabo alongado e cerdas macias. Para o melhor manuseamento da escova o indicado é que ela seja segurada em um ângulo de 45 graus, sendo feito movimentos circulares da gengiva à ponta dos dentes e de varredura em suas superfícies de mastigação.

Além disso, o creme dental deve conter flúor entre 1.000 ppm a 1.500 ppm, buscando o fortalecimento da dentição. Pastas de dente próprias para manchas, tártaro, cárie, gengivite e sensibilidade também podem ser usadas.

Não se esqueça de realizar a limpeza da mucosa e da língua, já que também tendem a acumular bactérias e causar o mau hálito (halitose).

A escovação deve ser feita entre os intervalos de refeições, sendo no mínimo duas vezes ao dia, contando uma noturna. A noturna é considerada a mais importante, uma vez que durante a noite a salivação diminui e deixa a zona bucal ainda mais propícia a proliferação de bactérias.

Quanto à passagem de fio dental, é por meio desse hábito que se realiza a limpeza da área entre os dentes, que não é possível pela passagem da escova. O bochecho com o antisséptico bucal é o hábito final, e deve se prolongar por ao menos 30 segundos para que tenha efeito e elimine parte das bactérias restantes.

Boa alimentação

Manter uma boa alimentação também está associada a manutenção dos efeitos benéficos da profilaxia. Isso porque por meio da limpeza profissional podemos perceber um certo clareamento dos dentes, que perdem parte da coloração amarelada adquirida pela formação do biofilme.

Para evitar que haja novamente o escurecimento dos dentes, o paciente pode evitar alimentos muito pigmentados (chás, cafés, chocolates), alimentos muito grudentos (balas de goma e caramelo e derivados) alimentos muito açucarados (doces em geral), já que favorecem o aparecimento de manchas e da placa.

Logo, buscando manter os dentes bonitos opte por alimentos detergentes, que são capazes de auxiliar na limpeza dos dentes, tal como maçã, melancia, acelga, cenoura e pepino.

Como manter os benefícios da profilaxia

Visitas regulares ao dentista

Não só de profilaxias fazem as visitas ao dentista, e por isso elas devem ser regulares para que outros cuidados possam ser tomados quando necessário.

É pela avaliação do dentista que se é possível identificar complicações em sua fase inicial, encaminhando o paciente para o tratamento precoce mais adequado.

Dessa forma, para a manutenção do tratamento e para o seu sucesso, é necessário que as idas ao dentista sejam frequentes.

Além disso, por essas consultas o odontologista é capaz de dar orientações e indicações para uma rotina de bons hábitos, devendo também o paciente segui-las para que haja a manutenção.

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Deixe seu comentário