Prótese dentária

O procedimento de prótese fixa é mais comum do que se imagina, sendo um dos principais procedimentos feitos em consultório odontológico. A colocação da prótese fixa, é uma das várias opções para a perda dentária, sendo uma das mais comuns.

Sendo o tipo de prótese dentária mais utilizado, a prótese fixa proporciona não só a renovação da estética do sorriso, mas também a funcional.

Veja aqui tudo o que você precisa saber antes de se submeter ao tratamento, suas indicações, como funciona, seus tipos, contraindicações, vantagens, antes e depois e quanto custa:

O que é prótese fixa?

A prótese dentária fixa, ou ponte dentária fixa, nada mais é do que uma das soluções que o paciente pode ter ao perder um ou mais dentes. A prótese se trata de uma peça protética utilizada para fazer a reposição do(s) dente(s) perdido(s), e que, como o próprio nome indica, é fixada na boca.

A técnica utilizada para instalação do dispositivo proteico envolve a sua colocação sobre implantes dentários na mandíbula ou maxilar, que funcionam como pilares de sustentação, substituindo as raízes.

Normalmente, a perda dentária ocorre devido a falta de higiene bucal adequada, e assim pela evolução de problemas pelo acúmulo de placa bacteriana como a cárie. No entanto, entre demais motivações podem estar traumas por quedas ou choques e problemas estéticos ou funcionais, seja quanto a mastigação, fala ou respiração.

A prótese dentária fixa pode ser uma peça protética, unitária, que substitui somente um dente natural, ou parcial, que realiza a reposição de três ou mais dentes.

Como funciona uma prótese fixa

Como funciona uma prótese fixa?

A prótese fixa é feita em um laboratório de prótese, sendo confeccionada acima de um pino inserido na raiz dentária (implante) ou tendo como apoio os dentes naturais que a cercam. Para sua confecção são levados em conta a altura, tamanho e formato dos dentes passados pelo dentista.

No caso de um dente após ter sido feito o tratamento de canal, a prótese pode ser indicada para que haja a prevenção de fraturas em meio a mastigação. Para uma ação preventiva ainda mais efetiva, o dentista poderá fazer orientações ao paciente, como evitar alimentos muito duros.

Para que a aplicação da prótese ocorra da forma adequada e de forma que se preserve o alinhamento correto da arcada dentária, é necessário que haja o preparo da região que irá receber a prótese. 

É normal que antes do procedimento ser feito, o paciente passe por um tratamento ortodôntico anteriormente, uma vez que os dentes já se encontram desalinhados. No entanto, diante de casos leves o procedimento pode ser acompanhado pelo desgaste dos dentes. 

Tendo em vista os possíveis riscos da colocação de prótese, o dentista primeiramente irá realizar um planejamento prévio do procedimento, levando em conta as particularidades do caso e as necessidades do paciente, podendo o encaminhar para exames de imagem, como tomografia e hemograma. 

Antes de se submeter ao tratamento pela prótese fixa, o paciente deve ter noção que quando associado a implantodontia, o procedimento é cirúrgico. Após feita a cirurgia, o paciente deve aguardar cerca de 4 meses para que seja feita a osseointegração, ou seja, quando o dispositivo de titânio finalmente se junta ao osso.

Quais são as principais indicações da prótese fixa?

Como dito, entre as principais motivações para a colocação da prótese estão maus hábitos quanto à saúde bucal, problemas bucais e causas em que a extração do dente seja uma opção. Veja quais são:

  • Má escovação;
  • Falta da passagem do fio dental e enxaguante bucal;
  • Má alimentação (baseada em alimentos ricos em açúcar, muito pigmentados e grudentos);
  • Acúmulo de placa bacteriana;
  • Formação de tártaro;
  • Evolução de cáries;
  • Recuperação do dente em tratamento de canal;
  • Doenças gengivais (gengivite e periodontite);
  • Traumas;
  • Problemas estéticos (manchas irreversíveis, fraturas e desgastes);
  • Problemas funcionais.

Cabe ao dentista identificar a melhor forma de tratamento mesmo nessas situações, já que a perda definitiva do dente natural pode ser feita em último caso. Vale ressaltar que existem outras formas de se realizar a substituição da estrutura dentária, seja pela prótese removível ou flexível.

Além disso, a prótese fixa é recomendada quando há um bom suporte ósseo e uma saúde bucal em dia. Ao contrário, o uso da prótese dentária fixa pode trazer complicações à zona bucal. Portanto, cabe ao dentista indicar ao paciente a melhor abordagem para o seu caso.

Pacientes que já fazem o uso de prótese móvel ou de silicone também podem recorrer a aplicação de prótese fixa, já que trás mais conforto e segurança para a reabilitação.

Quais são as contraindicações da prótese fixa?

Assim como os demais tratamentos odontológicos, a prótese fixa possui as suas contra indicações. Dessa forma, para certificar que o paciente pode ser submetido a colocação da prótese, o dentista irá avaliar a condição da saúde bucal do paciente.

Entre os fatores a serem analisados estão o bom estado do tecido gengival, já que para a colocação dos implantes há a sua percepção. Por ser um procedimento invasivo, é importante que a gengiva e os ossos estejam em boas condições para evitar efeitos negativos após a perfuração.

Procurando evitar esses futuros problemas, o dentista deve levar em conta também os princípios biomecânicos da prótese, tais como a sua resistência, retenção e estabilidade, que são responsáveis pela boa experiência e durabilidade do tratamento.

No caso das próteses unitárias, a estrutura que fará a substituição do dente deverá ser apoiada em um dente natural para serem bem fixadas. Nesse caso, cabe ao odontologista analisar também a saúde do dente remanescente em questão.

As próteses parciais, por sua vez, devem ter o número de dentes de suporte suficientes para que haja a sua boa fixação. Caso o paciente não possua a quantidade de dentes suficientes para que a prótese parcial fique bem ajustada à arcada, ela não será indicada.

Afinal, quais são as vantagens?

A prótese fixa pode trazer uma série de vantagens em meio ao seu tratamento, principalmente relacionadas à sua maior estabilidade na boca. Conheça seus benefícios:

Segurança 

A segurança que a prótese fixa proporciona é uma das principais características que a destacam da prótese dentária móvel. Sua estabilidade permite que a mastigação e a fala sejam feitas com muito mais conforto. 

Logo, a promoção de sustentação e seu material mais rígido é destaque em relação à removível, evitando medo durante a alimentação e uma conversa. 

Estética

As próteses fixas, além da maior estabilidade, trás como benefício um fator estético bem positivo. A peça protéica é bem fiel aos dentes naturais e por isso é camuflada em meio a dentição original.

Dessa forma, não há o desconforto de estar ou não usando prótese, sendo algo de difícil percepção.

Conforto

A promoção de conforto é uma das preferências do uso da prótese fixa ao invés da móvel. A mobilidade da prótese removível, permite que haja também a promoção de bem-estar ao longo do tratamento.

Prótese fixa antes e depois

O efeito antes e depois da prótese fixa é extremamente positivo, e bastante perceptível. Com a sua aplicação, não só a boa aparência do sorriso é renovada pelo preenchimento do espaço, mas também as funções dentárias são restauradas por meio da reposição da estrutura dentária faltosa.

Com a recuperação da harmonia e da melhor eficiência do sorriso, o paciente percebe benefícios como a melhora da autoestima e de seus relacionamentos, além da melhor promoção de bem-estar e qualidade de vida.

tipos de protese fixa

Quais os tipos de próteses fixas?

Entre os principais tipos de prótese fixa estão:

Prótese dentária tradicional (Ponte)

É o tipo de prótese dentária mais utilizada, podendo ser confeccionada em cerâmica, metal ou porcelana. Em sua técnica, o dentista faz a colocação de uma coroa e de um dente pôntico (dente falso) no espaço cedido pela perda dentária e entre os dentes permanentes de suporte.

Prótese dentária adesiva

Feito por uma estrutura de metal, a prótese adesiva que compreende o dente pôntico é colada ao metal ou porcelana que foi cimentada nos dentes adjacentes que servirão de suporte. Geralmente é o tipo mais utilizado depois da convencional.

Prótese dentária Cantilever (Ponte)

A ponte cantilever é indicada em casos em que os dentes que serviram de pilares só então disponíveis de um lado do dente ou dentes faltosos. Assim, a peça irá se manter fixada apenas de um dos lados. Há assim a preparação dos dentes pilares entre si, anexando o dente protético em seguida.

Prótese fixa sobre implante

A prótese fixa sobre implante funciona de forma semelhante às chamadas pontes. Contudo, o seu diferencial é que a prótese não é sobreposta ao dente, mas sim aos implantes dentários. 

Dessa forma, é possível efetuar a troca de dentaduras por próteses fixas de porcelana, fazendo com que se destaque quanto ao fator estético e a durabilidade do tratamento.

Coroa dentária

A coroa é indicada em casos em que há a necessidade de fazer a reabilitação total de um dente ou apenas de uma parte da estrutura dentária que foi comprometida. A coroa dentária pode ser confeccionada em porcelana, cerâmica, que são os materiais mais comuns, ou ainda em ligas metálicas, ouro ou acrílico.

Bloco

Por último, o bloco, como é conhecido esse tipo de prótese fixa, é eficaz na restauração do elemento dentário faltoso. A prótese fixa pode ser confeccionada, por exemplo, em porcelana e resina. A técnica pode comprometer apenas porcelana, ou ser feita de porcelana à zircônia, que é capaz de trazer um efeito estético ainda melhor.

Quanto tempo dura a prótese fixa?

Por conta de sua variedade de modelos e materiais, a durabilidade da prótese dentária fixa também tende a variar, levando em conta que uns materiais são mais resistentes que outros.

No geral, o tempo aceitável da vida útil de uma prótese dentária sobre implantes ou dentes naturais na boca é de 5 anos. No entanto, há casos de destaque, como a prótese dentária de porcelana em metal, que pode durar de 7 a 8 anos, a de metal de 15 a 20 anos e a somente em porcelana por volta dos 15 anos.

Enquanto a de resina, que apresenta um bom resultado estético, apresenta uma durabilidade de 5 a 8 anos. 

Qual o preço de uma prótese fixa?

Tal como a durabilidade varia pelos modelos, o valor do procedimento também irá variar por esse e demais fatores como localidade, dentista e laboratório protético.

O modelo tradicional tem o valor médio de R$ 1.060 (mil e sessenta reais), sendo por volta de R$ 1.330 (mil trezentos e trinta reais) em caso onde há a necessidade de um pino de implante como pilar ou poste metálico na raiz.

Em caso de ponte dentária adesiva, normalmente usada na reposição dos dentes da frente, o valor estimado é de R$ 1.359 (mil trezentos e cinquenta e nove reais). Por fim, o preço da parcial vai depender da quantidade de dentes a ser substituída.

Quais são os cuidados necessários para a manutenção da prótese?

A prótese fixa, independente de seu material, está sujeita ao acúmulo de placa bacteriana, assim como os dentes naturais.

Para que sejam evitadas futuras complicações e infecções pela evolução do biofilme é necessário que os pacientes que estejam passando por esse tratamento se preocupem quanto a uma boa alimentação, a higiene bucal adequada e a manutenção das visitas regulares ao dentista.

É somente mantendo esses cuidados básicos que não só a prótese, mas também a arcada dentária são mantidas em sua melhor forma e que o tratamento terá uma boa duração.

A alimentação deve evitar alimentos muito açucarados (doces em geral), muito pigmentados (café, chá, chocolate) e grudentos (gomas de mascar e balas macias) já que tendem a deixar resquícios na dentição. 

Quanto a higiene bucal, deve ser completa, com uma boa escovação, com a passagem do fio dental e do bochecho com um enxaguante bucal indicado pelo dentista.

Por fim, as visitas ao consultório odontológico devem ser feitas regularmente para que se previna doenças bucais e a sua identificação precoce. Também cabe ao dentista efetuar a troca da ponte dentária quando necessário.

Portanto, o plano odontológico Dental Vidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Veja aqui qual o plano odontológico Dental Vidas mais combina com você!

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

Deixe seu comentário