Saúde Bucal

A retração gengival é um dos vários problemas que atingem a saúde bucal e a qualidade da higiene do sorriso.

Veja aqui quais são as principais características da retração gengival e qual é sua melhor forma de tratamento:

O que é Retração Gengival?

A retração gengival, recessão gengival ou recessão da gengiva, é um problema bem comum e que tem como principal sintoma, o afastamento da gengiva e a exposição dos dentes. Dessa forma, a retração também é vista como a diminuição do tamanho da gengiva e o aumento dos dentes resultante do deslocamento da margem gengival em direção à sua raiz.

Com a evolução do deslocamento da gengiva o paciente pode adquirir sensibilidade nos dentes já que há um processo de exposição até o ápice da raiz dentária.

A percepção da retração gengival pode ser feita por dentes mais alongados do que o normal e que podem ter a sua superfície radicular (proximidade da raiz) aparente. Por fim, o alongamento do dente é possível já que a parte que comumente fica abaixo da mucosa oral passa a estar amostra.

quais são os principais sintomas da retração gengival

Quais são os principais sintomas da Retração gengival?

Para que haja a identificação da retração gengival já em seus primeiros momentos alguns sintomas devem ser considerados, como:

  • Afastamento da gengiva;
  • Raiz do dente visível;
  • Sensibilidade dentinária e estímulos diante de temperaturas expressivas e alimentos muito açucarados;
  • Base dos dentes amarelada – tonalidade comum da raiz dentária;
  • Dor dos dentes;
  • Dor no tecido gengival;
  • Sangramento da gengiva – principalmente durante a higienização e em casos associados a doença gengival;
  • Halitose (mau hálito) – também mais comum em casos de doença periodontal (gengivite ou periodontite);
  • Gengivas mais avermelhadas – pela periodontite;
  • Sensação de fraqueza dos dentes;
  • Perda dentária – em casos mais graves pelo enfraquecimento do periodonto.

Para evitar a evolução do problema e a associação do problema a outros tipos de complicação, o indicado é que o diagnóstico do problema seja feito o quanto antes, possibilitando que o tratamento seja feito em sua fase inicial.

É também pelo tratamento precoce que se evita abordagens mais invasivas para correção do problema.

Quais são as principais causas do problema?

A retração gengival ocorre quando há a perda do tecido periodontal e da porção terminal da gengiva (ou gengiva marginal) que distância o colo do dente em relação à raiz. Entre as principais causas desse distanciamento estão:

  • Escovação ou passagem de fio dental com movimentos de força exagerada;
  • Uso de escova com cerdas duras;
  • Higiene bucal incompleta e ineficiente – que leva a formação da placa bacteriana e também pode resultar em outros problemas bucais;
  • Inflamação da gengiva (gengivite);
  • Envelhecimento;
  • Fatores genéticos;
  • Tabagismo;
  • Movimentos ortodônticos;
  • Restaurações desadaptadas nas proximidades da gengiva;
  • Dentes desalinhados e apinhados;
  • Má oclusão dentária;
  • Traumatismo na gengiva;
  • Trauma oclusal;
  • Alterações hormonais acentuadas (gravidez e menopausa);
  • Ranger de dentes ou Bruxismo;
  • Espessura fina da gengiva e do tecido ósseo;
  • Xerostomia (boca seca);
  • Piercings na boca – uma vez que o atrito do metal na gengiva leva a sua irritação e inflamação.

Pessoas que passaram por um implante dentário, tratamento ortodôntico, por clareamentos ou branqueamentos abrasivos, restaurações ou margens de próteses mal adaptadas são mais suscetíveis a desenvolverem recessão gengival, devendo-se tomar ainda mais cuidado.

Independente da causa, a retração gengival possui cura, uma vez que tratada adequadamente.

A causa da retração gengival nem sempre é de fácil reconhecimento, logo, mesmo implementando as medidas preventivas, uma boca saudável também pode correr o risco de retração gengival.

Quais são as possíveis consequências da Recessão da gengiva?

Caso a retração gengival não seja diagnosticada e tratada no consultório odontológico, a saúde bucal está sujeita a uma série de consequências à saúde bucal.

Quando não tratada a recessão gengival é capaz de fazer com que a gengiva se solte aos poucos do dente, fazendo com que sejam criados “bolsões”, favorecendo a proliferação de bactérias e assim a formação de placas bacterianas.

Dessa forma, a ausência de tratamento ainda auxilia com que os bolsões ganhem mais profundidade, as gengivas se retraem ainda mais e há assim a soltura espontânea dos dentes. Quando há o desenvolvimento da doença gengival para a periodontal, a perda do dente é um risco ainda maior e deve ser investigada.

Por fim, a retração da gengiva facilita o acúmulo de resíduos e bactérias e assim da formação de cáries e de lesões como erosão e abrasão dentária.

A cárie radicular é uma consequência bem comum de casos de recessão, que é mais suscetível pelo fato da superfície da raiz não possuir esmalte para proteger a dentina. Assim como a periodontite, a cárie radicular também é um dos motivos por trás da perda do dente.

Afinal, qual é o melhor tratamento para retração gengival?

O tratamento da retração gengival é muito mais do que uma recuperação estética, uma vez que a complicação proporciona um forte desconforto e compromete a qualidade da mastigação.

Ao diagnosticar os sinais e sintomas do problema, tal como a sua causa principal, o dentista irá identificar a melhor forma de tratamento, baseando-se nas particularidades do caso e nos hábitos do paciente. O diagnóstico do problema poderá ser feito com ou sem a necessidade de exames, dependendo do grau do problema.

Levando em conta que uma vez retraída, a gengiva não volta a sua cobertura natural, quanto mais cedo ser feito o tratamento melhores serão os resultados.

O tratamento da retração gengival, por sua vez, pode está associado a mudanças de hábitos, como movimentos suaves durante a escovação e passagem do fio dental, uso de uma escova macia e de cremes dentais contra sangramentos e periodontite, cortar o uso de tabaco e alimentos que incitem a sensibilidade dentinária.

Em caso de bruxismo é necessário o uso de uma placa miorrelaxante para o controle do distúrbio. Diante de infecções, uso de antissépticos bucais, pastas ou géis de ação antisséptica podem ser indicados.

Problemas de alinhamento do sorriso devem ser corrigidos pelo tratamento ortodôntico devido. Medicamentos para xerostomia (boca seca) são indicados para que haja a redução da secura na boca.

Em conjunto com o seu dentista, um periodontista (especialista em saúde da gengiva) poderá indicar o procedimento de aplicação de flúor, proliferação de flúor, raspagem subgengival ou um polimento radicular para que possa ser feita uma limpeza mais profunda da dentição.

A realização de uma restauração com resina composta em dentes com retração gengival é outra alternativa viável, atuando contra o desconforto, inflamações e perda dentária.

Em casos mais graves, o tratamento pode ser feito através de uma cirurgia, o enxerto gengival, em que a retirada de tecido do palato e a sua aplicação sobre o dente que sofre com retração gengival. O preço do enxerto gengival é bastante variável, mas estimasse um valor de R$100 (cem reais) por dente.

visitas regulares ao dentista

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares ao dentista são essenciais para que problemas como a retração gengival sejam diagnosticados e tratados o quanto antes.

É pelas idas ao consultório odontológico que o odontologista irá identificar quais são os cuidados necessários para com a saúde bucal.

A indicação é que a periodicidade das visitas seja de ao menos 6 a 6 meses (2 vezes ao ano).

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário