Saúde Bucal

A sensibilidade no dente é um dos principais sintomas de problemas bucais.

Com isso, é uma das principais motivações das idas ao dentista e das queixas de dor de dente.

Você sabe o que é sensibilidade nos dentes? Saiba aqui como identificar e como tratar adequadamente:

O que é sensibilidade nos dentes?

Sensibilidade nos dentes, sensibilidade dentária ou hipersensibilidade dentinária se trata de estímulos dolorosos causados por bebidas e alimentos quentes, frios, doces ou ácidos. Além disso, casos de sensibilidade dentária podem ser percebidos pela dor do dente em contato com vento frio.

A dentina (área do dente que faz a cobertura do nervo), parte do dente abaixo do esmalte dentário, em condições normais é envolvida pelo esmalte e por parte da gengiva. No entanto, as causas da sensibilidade acabam por comprometer essas proteções e causar dor.

Com o tempo, o esmalte vai se desgastando por maus hábitos, tal como a gengiva pode retrair. Com o esmalte desgastado, o problema se desenvolve pelo contato das propriedades dos alimentos e bebidas com as terminações nervosas, podendo até mesmo alcançar a polpa dentária.

A dentina, por sua vez, possui um grande número de poros ou tubos microscópicos (túbulos), que se originam na superfície dentária e vão até a polpa, localizada no centro do dente. Uma vez que a dentina está exposta, líquidos presentes nesses túbulos podem ser incitados, seja por alterações de temperatura ou por alguns alimentos, o que leva a sensibilidade.

o que causa sensibilidade nos dentes

O que causa a sensibilidade nos dentes?

O processo de exposição e degradação do esmalte e da dentina pode acontecer por uma série de fatores. Entre os mais comuns estão:

  •         Ingestão de bebidas e alimentos ácidos – corroem o esmalte pela queda do Ph da boca;
  •         Retração gengival – seja por escovação inadequada, gengivite ou devido a idade;
  •         Escovação com o uso de muita força;
  •         Escovação com creme dental muito abrasivo;
  •         Escovação exagerada;
  •         Má higiene bucal – higiene bucal incompleta;
  •         Bruxismo – ranger de dentes que acabam por desgastar o esmalte dentário gradualmente;
  •         Estresse – apertamento dos dentes;
  •         Refluxo gastroesofágico – maior acidez na boca;
  •         Dente lascado ou fraturado – havendo a exposição da dentina;
  •         Restaurações quebradas;
  •         Clareamento inadequado ou contraindicado do dente;
  •         Piercing dental – fricção com o esmalte dentário.

Ademais, certos tratamentos dentários podem causar sensibilidade. Tratamentos como clareamento dental, profilaxia, restauração dentária e aparelhos ortodônticos podem causar a sensibilidade após o procedimento.

Em casos de escovação com força e frequência excessiva, mais do que 3 vezes ao dia, há a erosão do esmalte e causando a sensibilidade. Quanto a má higiene bucal, entre as consequências que podem ser citadas estão o aparecimento de manchas esbranquiçadas e cavidades pela concentração de placa bacteriana, em seguida a sensibilidade.

Como aliviar a sensibilidade nos dentes após clareamento?

O clareamento dental, seja de consultório ou caseiro, é feito levando em conta agentes clareadores, na maioria das vezes o peróxido de hidrogênio. Quando a abordagem com o gel clareador é feita em uma quantidade superior à recomendada pode haver a danificação do esmalte e a exposição gradual da dentina.

O gel clareador tem como objetivo realizar a desidratação do dente, penetrando os túbulos dentinários e incentivando assim a sensibilidade térmica. Com isso, o produto pode penetrar a dentina e a polpa, causando inflamação, sensibilidade temporária, além de irritação em casos de pressão da moldeira.

No entanto, quando usado corretamente pelo dentista e pelo paciente em casa, o clareamento não apresenta risco de dentição. Além disso, buscando prevenir os dentes sensíveis, muitos dentistas começaram a usar clareadores em menores concentrações.

Para aliviar a sensibilidade dentária causada depois de um clareamento, o paciente deve escovar os dentes suavemente com uma escova extra macia, pasta com flúor e água morna, além de evitar alimentos e bebidas bem quentes ou frios por um período de dois dias após o procedimento. Caso o desconforto não passe, o dentista deve ser consultado.

como aliviar sensibilidade nos dentes

Afinal, como aliviar a sensibilidade nos dentes?

Tendo em vista a variedade de causas para a sensibilidade dentária, são várias as formas de aliviar a sensibilidade dentária, estando elas ligadas à adesão de bons hábitos.

Boa higiene bucal

Uma boa higiene bucal é a base da prevenção e do tratamento para a hipersensibilidade dentária. Para isso, é importante que a higiene englobe não só a escovação, mas também a passagem do fio dental e o bochecho com o enxaguante bucal.

A escovação deve ser feita com uma escova de cerdas macias, cabo alongado e cabeça pequena, sendo manuseada com movimentos suaves. A aplicação de creme dental deve ser feita sem exagero, com uma proporção semelhante ao tamanho de uma ervilha.

A escolha do creme dental deve ser feita com a ajuda de um dentista, sendo o mais indicado pastas com flúor de 1.000 ppm a 1.500 ppm para que haja o fortalecimento dos dentes. Em casos em que a sensibilidade é intensa, pastas específicas para o seu tratamento podem ser recomendadas.

Deve- se evitar o uso de pastas com propriedades de clareamento, já que atingem esse efeito pelo polimento do esmalte e da remoção de pigmentações. Desse modo, o indicado é que elas sejam usadas 1 vez na semana, evitando o desgaste do dente.

A frequência da escovação não deve ser feita de forma exagerada, sendo indicado que ela seja feita em meio aos intervalos das refeições, de 2 a 3 vezes ao dia.

Boa alimentação

No caso de uma dentição suscetível à sensibilidade dos dentes, uma boa alimentação irá ser baseada no controle de alimentos que tendem a causar os estímulos dolorosos. Entre esses alimentos que devem ser evitados estão:

  •         Frutas e bebidas ácidas;
  •         Refrigerante;
  •         Doces;
  •         Catchup;
  •         Vinagre;
  •         Alimentos e bebidas muito gelados, tal como sorvete e milkshake;
  •         Alimentos e bebidas muito quentes, como chás, café e sopas.

Anti-inflamatório para sensibilidade nos dentes

A recomendação de um anti-inflamatório deve ser feita pelo dentista após a consulta e a análise da situação. É apenas após feita a avaliação que o remédio mais indicado é prescrito, considerando as particularidades e as necessidades do paciente.

No entanto, mesmo com o uso do medicamento, deve-se considerar que somente o tratamento em consultório é capaz de solucionar o problema, que é apenas abafado temporariamente pelo efeito do remédio.

Visitas ao dentista

É pelas visitas ao dentista que a ação preventiva e o tratamento da sensibilidade dentária pode ser feito de forma ainda mais efetiva. São vários os tratamentos disponíveis capazes de fortalecer sua dentição e ajudar no combate das dores.

É somente o dentista capaz de identificar o problema e selecionar o melhor tratamento para o seu caso, dando orientações e sugestões para a melhor adesão de bons hábitos. Vale ressaltar que a sensibilidade dentária pode ser um sintoma de algo mais grave como cáries e gengivite.

Entre os tratamentos que podem ser feitos em consultório estão:

  •         Profilaxia (limpeza profissional);
  •         Aplicação de espuma ou gel de flúor – expondo os dentes a uma alta concentração de flúor;
  •         Aplicação de lazer local terapêutico;
  •         Aplicação de verniz de flúor – favorecendo a mineralização do esmalte e da dentina;
  •         Colocação de um agente fixador – fixando restaurações e impermeando a superfície da dentina;
  •         Obturação e restauração do dente em caso de cáries;
  •         Restauração das áreas que tiveram o esmalte comprometido;
  •         Tratamento de canal.

Como dito, é importante que ao sentir os estímulos da sensibilidade, não se ignore o sintoma e que o dentista seja constatado, diagnosticando não só o problema, como sua causa e encaminhando o paciente para o tratamento adequado.

As visitas ao dentista, para se obter esses benefícios, deve ser feita de forma regular, ao menos 2 vezes no ano (6 em 6 meses), podendo assim ser realizados os procedimentos regulares, como a profilaxia.

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Leave a comment