Doenças

Você sabe o que é sialorreia? A sialorreia é um dos problemas que atinge a saúde bucal e está diretamente ligado a produção de saliva, devendo ser tratado o quanto antes.

Conheça aqui essa doença, seus sintomas, causas e suas melhores formas de tratamento:

O que é sialorreia? 

A sialorreia se trata de uma condição médica ou sintoma associada ao excesso da produção de saliva.

O diagnóstico da complicação é possível quando é detectável uma produção de saliva maior do que a normal, que se encontra entre 500 ml a 2 litros por dia. 

Além da quantidade ideal, em condições normais a salivação é feita em ciclos variáveis, havendo uma produção menor pela manhã, maior a tarde e quase inexistente a noite. Contudo, a sialorreia é capaz de comprometer não só a quantidade, mas também a distribuição do ciclo salivar.

Também chamada de hipersalivação, hipersialose ou ptialismo, a sialorreia é uma complicação bem comum em bebês, desaparecendo naturalmente de 1 a 3 anos, já que é o período em que se estabelece a continência salivar e em que os músculos por trás da deglutição começam a ser controlados.

O que é sialorreia

Caso a condição persista após completados os 4 anos de vida, o problema pode-se tratar de uma anomalia crônica em que a presença de uma doença neurológica pode ser um fator de risco.

A sialorreia ocorre em casos em que a produção de saliva ultrapassa da capacidade de ser carregada no estômago. 

Ao sinal de salivação excessiva, de baba excessiva e frequentes engasgos pelo bebê, o dentista deve ser consultado para que seja feito o diagnóstico do problema e para que assim o paciente seja encaminhado ao tratamento mais indicado.

Vale ressaltar que uma vez que a sialorreia possui um papel importante para a digestão, lubrificação, imunidade e manutenção da homeostase corporal, o problema não deve ser ignorado.

Quais são os principais sintomas da Sialorreia?

Assim como qualquer problema bucal, a sialorreia pode ser identificada já em casa pelos seus sinais característicos. 

A produção de saliva excessiva acima dos 2 litros diários é percebida no escorrer da baba ao longo do dia, além na perceptível dificuldade durante a mastigação e fala, uma vez que a saliva pode prejudicar o funcionamento da laringe e faringe. É por esse mau funcionamento que engasgos também podem fazer parte da rotina, exigindo muito cuidado e tratamento feito o quanto antes.

Além dessas circunstâncias também é comum o aparecimento de dermatite ao redor da boca. 

Quais são as principais causas da sialorreia?

São várias as possíveis causas da sialorreia, entre elas estão:

  • Certos tipos de medicamentos como calmantes;
  • Certos tipos de câncer;
  • Aftas na mucosa bucal;
  • Problemas respiratórios;
  • Irritação ou inchaço da gengiva;
  • Miopatias (doenças musculares);
  • Posicionamento inadequado da cabeça e do pescoço com hiperflexão cervical;
  • Mal fechamento anatômico da boca;
  • Nariz entupido por um certo período (obstrução nasal);
  • Distúrbio neuromotor (AVC, Mal de Parkinson, esclerose múltipla);
  • Disfunções neuromusculares e/ou sensoriais;
  • Esclerose Lateral Amiotrófica;
  • Acidente Vascular Cerebral;
  • Esclerose Múltipla;
  • Paralisia cerebral;
  • Gestação – em alguns casos;
  • Debilidade ou descoordenação da musculatura facial;
  • Incontinência labial;
  • Língua volumosa;
  • Problemas ortodônticos;
  • Má oclusão dentária;
  • Problemas odontológicos (cáries, gengivite, periodontite);
  • Predisposição à respiração oral;
  • Processos inflamatórios (cáries, surgimento de dentes, infecção cavidade oral);
  • Refluxo gastroesofágico.

Dessa forma, caso seja identificada a sialorreia e a sua associação a algumas dessas causas, é importante consultar o seu dentista ou médico o quanto antes.

formas de tratar a salivação em excesso

Quais são as formas de tratar a salivação em excesso?

Tendo em vista a variedade de causas possíveis da sialorreia, o tratamento irá depender das particularidades do caso e de sua motivação principal.

Entre as principais formas de tratamento está a adoção de bons hábitos quanto ao posicionamento correto da cabeça e do pescoço, sessões de fonoterapia, reabilitação oral. Em casos em que a hipersalivação é muito expressiva o profissional da saúde pode indicar o uso de aspiradores portáteis.

Tendo em vista que não há um medicamento específico para a sialorreia, optar por fármacos que possuem um efeito anticolinérgicos pode ajudar na diminuição na produção da saliva. Contudo, vale considerar os possíveis efeitos colaterais como retenção urinária, hipotensão e constipação.

Além disso, é possível que seja feita uma cirurgia para o controle do sintoma, sendo indicada para crianças com sintomas refratários e que não possuem risco ao procedimento, como ocorre a idosos e pessoas com alguma fragilidade. 

O tratamento também pode ser feito por meio de sessões terapêuticas, como de radioterapia, que se restringem a pacientes idosos e que são contraindicados ao uso dos medicamentos e a cirurgia.

Uma técnica mais recente para o tratamento e redução da sialorreia pode ser feita com a administração da toxina botulínica do tipo A no parênquima das glândulas salivares, submandibulares e parótidas. A indicação nesse caso se limita a crianças e adultos e a técnica possui menos efeitos colaterais do que medicamentos anticolinérgicos.

Vale ressaltar que a escolha do tratamento também irá depender da presença ou ausência de disfagia (debilidade na deglutição) e o horário em que a salivação fica mais intensa, que é um variante.

O tratamento deve ser feito o quanto antes evitando que com o tempo surjam alterações clínicas, funcionais, físicas e prejuízos psicossociais e a qualidade de vida.

Tratamento da sialorreia em bebês

Tratamento da sialorreia em bebês

Como já dito, o excesso de salivação é normal nos primeiros meses e anos de vida (até os três anos). Nesse período, é importante que algumas medidas sejam tomadas pelos pais para que a salivação não comprometa a alimentação, deglutição e ínicio da fala da criança. 

Entre as medidas indicadas está uma alimentação baseada em alimentos menos ácidos e menos consistentes para estimular a mastigação, orientar a criança a posicionar corretamente a cabeça para que seja estabelecido o controle do tronco e cabeça, além de exercícios que estimulem a ficar com os lábios fechados.

Visitas regulares ao dentista 

As visitas ao dentista devem ser regulares para que seja feito o acompanhamento odontológico necessário.

É por meio dessa periodicidade que se é possível realizar a avaliação da zona bucal, prevenir e tratar complicações como a sialorreia em sua fase inicial.

Também é por essa frequência que tratamentos regulares como a profilaxia (limpeza profissional) podem ser feitos, mantendo a saúde bucal.

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

               
Artigo anterior

               
Próximo Artigo

Deixe seu comentário