Saúde Bucal

O trismo é uma das debilidades envolvendo os movimentos da boca. 

Se você possui alguma dificuldade em abrir a boca e possui desconforto na mastigação e fala, talvez você possa estar sofrendo com essa complicação e não sabe.

Veja aqui o que é trismo, quais são os seus sintomas, consequências e formas de tratamento:

O que é Trismo?

O trismo é caracterizado por um problema que envolve a abertura da boca, trazendo dificuldade de movimentos devido a um incômodo constante. Uma pessoa com trismo não consegue abrir a boca totalmente.

Essa dificuldade ocorre devido a contração de músculos da face responsáveis pela movimentação da boca. A contração pode acontecer depois de procedimentos cirúrgicos na face ou pescoço, ou até mesmo por procedimentos realizados nos dentes.

Essa contratura (contração muscular incorreta) dolorosa da musculatura da mandíbula (masseteres) pode representar um tétano (infecção grave causada pela toxina do bacilo tetânico). 

Esse estado de contratura dos dentes pode acontecer ao acordar e quando finalizamos alguma atividade, tal como a mastigação. 

O trismo também pode ser identificado tendo em vista a abertura normal da boca, que deve ser maior do que 3 centímetros (40 mm), enquanto o trismo varia a abertura de 2 a 3 centímetros, em casos leves, e a 1 centímetro em situações mais graves (10 mm).

Quais são as causas do trismo

Quais são as causas do trismo?

O trismo pode ser causado por outros problemas como distúrbios na ATM – Articulação temporomandibular, podendo fazer parte de processos de infecção bacterianos da faringe, como na angina por tonsilite abscedante.

O estado também pode ser adquirido em consequência do espasmo muscular resultante de uma inflamação e pelo efeito anestésico. Assim, há o comprometimento dos músculos ou nervos envolvidos na abertura e fechamento da boca.

Ademais, o trismo pode ser consequência de certas cirurgias que envolvam a zona bucal e procedimentos dentários, tal como extração de dentes sisos (dentes molares). Isso tendo em vista o longo tempo que o paciente passa com a boca aberta ou a complexidade do caso. 

Cirurgias na cabeça, pescoço, mandíbula ou face também podem causar o trismo, seja por uma reação da radioterapia para o tratamento de câncer de cabeça e pescoço.

Por fim, a condição pode ser um dos efeitos colaterais do veneno da aranha do gênero Latrodectus (“viúva-negra”).

Normalmente, o trismo passa após uns dias, depois de finalizado o processo de cicatrização, no caso de cirurgias. Para uma recuperação mais rápida o ideal é que não se force a abertura da boca frequentemente.

No entanto, deve ser realizado o diagnóstico para a descoberta da causa da dificuldade, podendo ela ser um problema intra ou extra-articular (dentro ou fora da articulação temporomandibular – ATM).

Intra-articulares

  • Fratura intracapsular;
  • Luxação da articulação temporomandibular (descação da mandíbula);
  • Sinovite traumática (processo inflamatório da membrana sinovial);
  • Desordem interno da ATM (desordem anterior do disco articular sobre côndilo – saliência arredondada do osso); 
  • Osteoartrite;
  • Artrite inflamatória séptica;
  • Anquilose (imobilidade da articulação temporomandibular ou fusão das superfícies articulares);
  • Formação de osteófitos (processo degenerativo articular).

Extra-articulares

  • Tétano;
  • Hematoma;
  • Radioterapia;
  • Traumas ou fraturas de ossos da face;
  • Tumor maligno;
  • Inchaço pós cirúrgico depois da anestesia de procedimento dentário;
  • Infecções agudas dos tecidos da boca;
  • Dor nos nervos;
  • Tratamento de canal;
  • Anquilose;
  • Problemas de oclusão;
  • Alterações dos maxilares pela perda dentária;
  • Parotidite aguda – processo inflamatório ou infecção da glândula salivar parótida;
  • Efeito colateral a certos medicamentos.

O trismo também é uma consequência comum de traumatismos (fortes choques e quedas), decorrentes de acidentes ou da prática de esportes.

Pode vim acompanhado de dores nas proximidades do ouvido e irradiadas pela musculatura da face que associada aos movimentos da boca.

Quais são as consequências do trismo?

Mesmo que possa ser ignorado por muitos, o trismo pode trazer uma série de problemas dentários. Isso tendo em vista a dor intensa que a complicação proporciona.

Entre os principais efeitos negativos da falta de tratamento do trismo está a dificuldade quanto uma higiene bucal eficiente, sendo a causa indireta do aparecimento de problemas bucais, tal como tártaro, cáries e doenças bucais. 

Outro fator negativo é a dificuldade nítida quanto à fala, mastigação e para a realização de procedimentos odontológicos de ação preventiva.

Além de trazer danos à saúde bucal, o trismo também pode comprometer a saúde geral da pessoa. Considerando que a doença gera incômodo e dificulta as funções da boca, leva a perda do apetite e assim uma perda de peso significativa.

Além disso, uma vez que tem como sintoma principal a dificuldade de mastigação, o trismo possibilita que haja uma menor intensidade de mastigação e assim que as pessoas ingerem maiores pedaços de comida, dificultando a digestão e requerendo uma maior energia do organismo.

Por fim, há o mau estar generalizado pela necessidade de energia e a pouca reserva.

Como é feito o tratamento do trismo

Como é feito o tratamento do trismo?

Tendo em vista a série de causas possíveis por trás do trismo, são vários os tipos de tratamento. O tratamento, por sua vez, irá levar em conta a causa principal do problema descoberta pelo diagnóstico do dentista.

Entre as formas de tratamento mais indicadas está a medicação por antibióticos, analgésicos, anti-inflamatórios ou relaxantes musculares. 

Além dos analgésicos, a promoção de alívios as dores podem ser indicados compressas com água quente/morna, além de sessões de laserterapia. Movimentos suaves de abre e fecha da boca podem ajudar na reabilitação.

Em alguns casos, como os de problemas na ATM, o odontologista pode indicar o uso de placas miorrelaxantes, sessões de fisioterapia e até mesmo certas cirurgias. Entre as demais medidas que podem ser tomadas estão o tratamento ortodôntico em caso de mordida incorreta ou disfunção mandibular, solucionando o problema pelo relaxamento muscular.

Buscando evitar com que o trismo traga ainda mais malefícios à saúde, a higiene bucal deve ser mantida de forma eficiente, isso com ajuda das orientações e recomendações feitas pelo odontologista.

Visitas regulares ao dentista

Por meio das visitas regulares ao dentista, complicações como o trismo podem ser identificadas e tratadas o quanto antes, evitando momentos de desconforto e mal-estar prolongados.

Além disso, é por meio das visitas ao consultório odontológico que se é possível realizar o tratamento adequado mais indicado pelo dentista.

Vale ressaltar a importância dessa periodicidade para com a ação preventiva a uma série de outras doenças, e para a realização de procedimentos regulares, como a profilaxia (limpeza profissional), que deve ser feita ao menos 2 vezes por ano, cerca de 6 em 6 meses. 

O plano odontológico DentalVidas tem diversas opções para garantir mais qualidade de vida e um sorriso mais bonito para você e sua família.

Gostou do texto? Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

2 Comentários para “Trismo: o que é, como melhorar e quanto tempo dura

Deixe seu comentário